Lidia Magno

Redação / 43 artigos

O meu nome é Lidia Magno e sou jornalista desde 1991.O meu percurso profissional iniciou-se na Rádio Renascença, onde exerci as funções de editora de política. Mais tarde fui convidada para Editora de Política e Economia do jornal Correio da Manhã e para o projeto de televisão CMTV. A oportunidade de colaborar com o Ministério do Mar , como assessora de imprensa, permitiu-me alargar os meus conhecimentos sobre o Oceano e o seu impacto no clima. Destaco neste último ano a oportunidade de ter acompanhado em Nova Iorque, os trabalhos da 1ªConferência dos Oceanos das Nações Unidas, realizada em junho de 2017.

Publicidade

Artigos de Lidia Magno

A origem dos sismos violentos na costa portuguesa

Uma equipa de investigadores acredita que está a criar-se uma faixa na costa portuguesa, responsável por sismos violentos, responsável por exemplo pelo terramoto de 1755 que ocorreu em Lisboa. Descubra as causas.

Afinal Einstein tinha razão!

Foi revelado ao mundo, faz hoje uma semana, a primeira imagem real de um buraco negro. A equipa internacional de cientistas confirmou o que Einstein já sabia: a distorção do tempo e do espaço.

Marcha pelo clima em todo o mundo!

Milhares de manifestantes juntaram-se numa marcha em defesa do planeta. As alterações climáticas foram o mote do protesto que decorreu pelo mundo. Contamos-lhe aqui os principais destaques do ocorrido na última sexta-feira.

Cor do mar pode mudar

Novo estudo alerta para as possíveis alterações de cor que o Oceano pode sofrer, em consequência da alteração do fitoplâncton, ou micro-organismos vegetais existentes no mar.Por causa das alterações climáticas, as cores podem alterar-se e ficar mais intensas.

Novo alerta da ONU sobre alterações climáticas

O secretário-geral da ONU, António Guterres, voltou a alertar para os riscos das alterações climáticas e deixou um alerta a todos os líderes mundiais, afirmando que a vontade política está mesmo ausente.

Ilhas Fiji em perigo!

As alterações climáticas continuam a representar uma enorme ameaça às ilhas do Pacífico. Muitas ilhas, como as Fiji, podem submergir devido à subida do nível dos mares.

Portugal quer premiar quem recicla mais!

A diretiva europeia foi aprovada em outubro de 2018, para ser cumprida até 2021, mas alguns países europeus estão a antecipar-se, face à urgência em acabar com o uso do plástico.

Vulcão Krakatoa deixa Indonésia em alerta máximo

Um país em alerta máximo, é como se encontra a Indonésia nos últimos dias, após o grande tsunami, provocado pela erupção do vulcão Krakatoa, localizado no Estreito de Sunda, entre as ilhas de Java e Sumatra.

O vai e vem dos plásticos!

Criado em 1907 para nos tornar a vida mais fácil, o seu uso intensificou-se na década de 40/50 e hoje continua a servir para quase tudo, desde as embalagens de fruta a capas de telemóveis. Agora, chegou a vez da cobrança e já começamos todos a pagar.

Impactos das alterações climáticas segundo a ONU

O Secretário-geral das Nações Unidas, alertou todos os países para as consequências devastadoras dos impactos das alterações climáticas e pediu a cada um, para tomarem decisões e ações concretas, sobre o que considerou ser o "assunto mais importante do mundo".

Cimeira do Clima exige compromisso do mundo!

Cimeira do Clima na Polónia arranca esta semana e até ao dia 14 de dezembro, cientistas investigadores e o poder político, debatem fórmulas de compromisso, para, de vez, aplicar o que já tinha sido decidido no Acordo de Paris: reduzir emissões de CO2.

Reciclar, reciclar, reciclar!

Em 2018, os portugueses aumentaram a produção de lixo, mas passaram a separá-lo menos. No total o aumento dos resíduos produzidos subiu 2% mas a preocupação com a necessidade de separação dos plásticos, vidros e papel diminuiu.

Seguinte