Marcha pelo clima em todo o mundo!

Milhares de manifestantes juntaram-se numa marcha em defesa do planeta. As alterações climáticas foram o mote do protesto que decorreu pelo mundo. Contamos-lhe aqui os principais destaques do ocorrido na última sexta-feira.

Lidia Magno Lidia Magno 21 Mar. 2019 - 09:05 UTC
Milhares de estudantes em defesa do planeta.

Contra as alterações climáticas e pela defesa do planeta, milhares de manifestantes de todo o mundo saíram à rua, apelando a mais ação e a uma verdadeira revolução de comportamentos. As marchas mobilizaram milhares de pessoas em mais de 900 cidades de 95 países com as Organizações Não-Governamentais (ONG) a reivindicarem que são necessárias medidas urgentes de proteção ambiental.

Segundo o FridaysforFuture, o movimento que coordenou esta iniciativa,123 países podem ter aderido a esta greve mundial. O movimento falou em duas mil manifestações por todo o mundo. O objetivo é fazer pressão sobre os responsáveis políticos para reduzir a emissão de gases com efeito de estufa, como prevê o Acordo de Paris.

Na Austrália, cerca de 150 mil pessoas manifestaram-se nas principais cidades do país. A vaga de mobilização estudantil em defesa do clima, estendeu-se por outras regiões da Ásia, assumindo particular relevo no Japão, Coreia do Sul e Índia, por exemplo.

Também em África, houve registo de mobilizações importantes na Cidade do Cabo, na África do Sul e Uganda. Brasil, Colômbia e Estados Unidos também se juntaram ao movimento. Na Europa, a Itália parece ser o país mais ativo em termos de mobilização pelo clima, com 216 eventos contabilizados na sexta-feira passada, segundo o diário La Reppublica, que cita números da FridaysforFuture. Em França, Alemanha, Suécia e Reino Unido contaram-se mais de uma centena de manifestações. Também Espanha, Portugal, Bélgica, Irlanda e Finlândia, juntaram-se ao movimento.

Marcha pelo clima em defesa da Terra.

O apelo de Greta Thunberg também foi ouvido em Portugal

Em Portugal, foram mais de 20 cidades que aderiram à greve mundial pelo clima. Em Lisboa, milhares de estudantes desfilaram desde o Largo Camões até à Assembleia da República, num protesto para exigir dos políticos ações contra as alterações climáticas e no qual gritam que “não há planeta B”.

Empunhando cartazes onde se lê “A Terra esgotou a sua paciência e nós também”, “Justiça climática já”, ou ainda “Estado de Emergência”, os jovens desfilaram e gritaram palavras de ordem entre as quais a mais ouvida: “Não há Planeta B”. Também no Porto, Braga, Coimbra, Portalegre e Faro centenas de estudantes faltaram às aulas, alertando para a necessidade urgente de medidas que evitem a extinção do planeta.

Publicidade