Paula Gonçalves

Paula Gonçalves

Geógrafa - 58 artigos

Paula Gonçalves é Licenciada em Geografia (2014) e Mestre em Sistemas de Informação Geográfica e Ordenamento do Território (2016) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde encontrou o fascinio pela Cartografia, Climatologia aplicada, a Saúde Pública e os Riscos Naturais.

Desde o término da Licenciatura se viu envolvida em projetos de investigação relacionados com a climatologia, nomeadamente a participação num projeto Internacional Citizen Sensing - urban climate resilience through participatory risk management systems, entre 2018 e 2020, participou e apresentou trabalhos em diversas conferências nacionais e internacionais, relacionados mais com a sua especialização, teve o privilégio, em 2017 de lecionar Climatologia aplicada, como assistente convidada, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e é ainda membro fundador da Associação Portuguesa Para os Sistemas de Informação Geográfica.

De todos os trabalhos científicos publicados é de realçar a sua participação como co-autora nos livros O(s) Climas de Gaia e o Plano Metropolitano de Adaptação às Alterações Climáticas: Metroclima. Porto

Atualmente é técnica Geografa no Gabinete Técnico Florestal no Município de Vale de Cambra.

Artigos de Paula Gonçalves

Novo ano brindado com a chuva de meteoros Quadrântidas
Atualidade

Novo ano brindado com a chuva de meteoros Quadrântidas

Prepare os binóculos pois este início de 2022 traz motivos para observar o céu noturno, com uma “chuva de estrelas” das Quadrântidas, tida como uma das melhores no hemisfério norte, com a duração de visibilidade do fenómeno a estender-se até ao dia 12 de janeiro.

Cortaderia selloana - um perigo escondido
Atualidade

Cortaderia selloana - um perigo escondido

Vistosas e exuberantes, assim são as plumas de erva-das-pampas (Cortaderia selloana). Muitas usadas para ornamentação escondem, no entanto, alguns perigos quer para a saúde pública quer para a biodiversidade. Saiba mais aqui!

As árvores podem viver para sempre?
Atualidade

As árvores podem viver para sempre?

As árvores morrem como resultado de danos severos, contudo, segundo um estudo da Scientific American, elas têm potencial para viver indefinidamente quando superam tempestades, secas, incêndios e muito mais.

Degelo nos Himalaias a um ritmo excecional
Atualidade

Degelo nos Himalaias a um ritmo excecional

De acordo com novas pesquisas, o degelo acelerado dos glaciares dos Himalaias ameaça o abastecimento de água de milhões de pessoas na Ásia. Saiba mais aqui!

Ruínas de Pompeia serão reconstruídas por robô
Ciência

Ruínas de Pompeia serão reconstruídas por robô

Um projeto ambicioso em Itália está em andamento para desenvolver um robô com inteligência, força e sensibilidade suficientes para restaurar restos arqueológicos fragmentados, como obras pictóricas.

China "modificou" o clima para tornar o céu limpo
Atualidade

China "modificou" o clima para tornar o céu limpo

Pequim é uma das cidades mais poluídas do globo. Contudo, quando ocorre uma reunião política importante, ou algum evento internacional, o céu fica limpo, azul, e a luz volta à cidade. Será coincidência?

"Engenheiros do ecossistema" em vias de extinção
Ciência

"Engenheiros do ecossistema" em vias de extinção

Amontoados de galhos e caruma, conhecidas por "hotéis para coelhos”, fornecem segurança contra os predadores e ajudam na procriação do animal agora saudado como "engenheiro de ecossistema" e em vias de extinção.

Podem as bebidas alcoólicas ajudar a combater o frio?
Ciência

Podem as bebidas alcoólicas ajudar a combater o frio?

A Região Europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS) tem os níveis mais altos de consumo de álcool do mundo e, segundo um recente estudo, pode estar associado aos climas mais frios. Todos os dias, mais de 2.500 pessoas na Europa morrem de causas atribuíveis ao álcool.

Os mistérios de comunicação entre os elefantes
Ciência

Os mistérios de comunicação entre os elefantes

Um diretório ambicioso de comportamentos e vocalizações de elefantes oferece incríveis perceções sobre as suas mentes e cultura, podendo assim ajudar a salvar estes animais magníficos que estão em vias de extinção.

Carbono azul para o combate às Alterações Climáticas
Ciência

Carbono azul para o combate às Alterações Climáticas

A expressão "Carbono Azul" surgiu pela importante contribuição das plantas marinhas para mitigar o aquecimento global. O carbono capturado pelos ecossistemas costeiros sequestram e armazenam carbono da atmosfera tornando-se, assim, numa peça essencial da solução para as mudanças climáticas.

Sopro do Dragão: a mais recente gruta descoberta nas Selvagens
Ciência

Sopro do Dragão: a mais recente gruta descoberta nas Selvagens

O Funchal destaca a importância do projeto que vai explorar microbiologia e mineralogia nas Ilhas Selvagens. Este projeto, o “Microceno”, irá explorar pela primeira vez a microbiologia e a mineralogia das grutas vulcânicas terrestres e marinhas das ilhas, que são consideradas análogos geológicos de Marte.

Está o clima relacionado com a quebra na produção de castanha?
Ciência

Está o clima relacionado com a quebra na produção de castanha?

Das atividades pertencentes ao setor primário, a agricultura é a que mais sofre com as alterações climáticas, traduzindo-se em fracas colheitas e produções de qualidade inferior. Será possível relacionar as alterações climáticas com a produção da castanha, em Valpaços, assim como as suas necessidades de sobrevivência e readaptação? Veja aqui!

Cruzeiros: os 'majestosos' agentes da poluição
Ciência

Cruzeiros: os 'majestosos' agentes da poluição

Por detrás da diversão e glamour dos gigantescos cruzeiros, esconde-se a sua intensa participação na poluição e degradação ambiental, além do impacto crescente e contínuo que causam na saúde e bem-estar das pessoas.

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável
Ciência

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável. Uma equipa de investigadores sugere que a sua dimensão reduzida não lhe permite reter muita água, tornando-se assim num planeta frio e seco.

1 2 3