Vaga de frio sem precedentes atinge Estados Unidos

Frio extremo já provocou o encerramento de centenas de escolas e universidades e o cancelamento de milhares de voos. Temperatura em Chicago vai baixar aos - 30ºC.

Alfredo Graça Alfredo Graça 30 Jan. 2019 - 03:59 UTC
Onda de frio extrema deve-se à deslocação de uma massa de ar gelado proveniente do Pólo Norte, o chamado Vórtice Polar.

Mais de 250 milhões de norte-americanos preparam-se para enfrentar uma massa de ar gelado que vai provocar a descida dos termómetros, em algumas situações, até aos 50 graus negativos. O frio extremo já atingiu a região do noroeste dos Estados Unidos, sendo que a cidade de Chicago será o "epicentro" desta vaga de frio e prolongar-se-á nos próximos dias, prevendo-se que esta onda de frio, embora não tão radical termicamente permaneça até meados de fevereiro.

De acordo com as previsões, Chicago, a cidade mais populosa do Illinois, deve chegar a históricos -29º C de temperatura mínima, e -14º C de máxima, a máxima mais baixa da cidade desde que há registos, tornando-se por isso, praticamente inédito. Em Mineápolis, no Minnesota, os termómetros vão reduzir ainda mais, até aos -34º C já a partir de hoje. A sensação térmica pode ser ainda mais acentuada, devido a ventos gelados que atingem -54 º C.

A explicação desta incrível vaga de frio

“Vamos ouvir prédios e mobiliário urbano a estalar". Esta é a descrição de um meteorologista que trabalhou várias décadas para uma televisão de Chicago e descreve perfeitamente o que espera a costa leste e o centro-oeste dos Estados Unidos nestes próximos dias, quando uma larga porção do país for alvo de uma das maiores ondas de frio desde que há registos.

Este fenómeno meteorológico explica-se pela presença do vórtice polar, uma massa de ar gélido com origem no Pólo Norte, que caminha em direção ao centro-norte dos EUA. Normalmente esta massa gelada de ar deveria estar em cima do Pólo Norte, contudo deslocou-se para latitudes mais baixas, acabando por se centrar na região centro-norte dos EUA.

250 milhões de norte-americanos serão afetados

Além de Illinois, a vaga de frio vai igualmente atingir os estados de Wiscosin, Minnesota, Michigan, Dakota do Norte e Dakota do Sul, Washington, Indiana e Atalanta. Para se ter uma noção estatística deste fenómeno, três quartos da população continental do país serão atingidos pela vaga de frio. De acordo com as contas da CNN, 90 milhões de pessoas terão de enfrentar temperaturas abaixo de zero e mais de vinte milhões vivem em áreas que irão registar temperaturas de vinte graus negativos.

Esta assustadora previsão levou as autoridades locais a alertar para as consequências fatais que a vaga de frio poderá ter. O estado de emergência foi ativado pelo governador de Wisconsin e o alerta foi dado à Guarda nacional para que esteja de sobreaviso quanto a pedidos de socorro.

Universidades e escolas irão permanecer encerradas nos próximos dias e a câmara de Chicago prepara-se para usar autocarros como locais de aquecimento bem como publicou dicas para o descongelamento de canalizações. Esta decisão irá afetar mais de 350 mil alunos. Os aeroportos vão estar praticamente encerrados e segundo informa a Reuters, mais de 1000 voos foram já cancelados.

Publicidade