Depressão Gabriel traz neve, vento e chuva implacável!

Portugal Continental será afetado por uma superfície frontal fria associada a uma depressão, batizada de Gabriel pela Météo-France, com presença de muita chuva, vento forte e neve. Veja os locais que serão mais afetados.

Alfredo Graça Alfredo Graça 28 Jan. 2019 - 07:30 UTC
Depressão Gabriel a caminho de Portugal trará vento, chuva e neve para Minho e Douro Litoral.

Portugal Continental será afetado por uma superfície frontal fria associada a uma depressão, batizada de Gabriel pela Météo-France, com presença de muita chuva, vento forte e neve. O padrão climático progressivo com vários perturbações associadas, trará chuvas excessivas para algumas partes da Península Ibérica. Localmente os acumulados de chuva podem chegar a 150-200 mm até sexta-feira. Grandes quantidades de chuva são indicadas no extremo noroeste da Espanha (Galiza) e, em particular, no norte de Portugal (Minho, Douro Litoral, Trás-os-Montes), onde os acumulados totais de chuva excederão localmente 100 mm numa larga porção do território.

Amanhã teremos um dia em que o céu estará geralmente muito nublado, pontuado por períodos de chuva que será fraca, especialmente na região Sul. A exceção será na região Norte, no distrito do Porto que a partir do início da tarde terá aumento da precipitação, passando a chuva moderada.

A queda de neve só ocorrerá acima dos 1200 metros de altitude, descendo a cota para os 1000 metros na região Norte no final do dia. No que diz respeito ao vento, soprará fraco a moderado até 30 km/h do quadrante oeste, sendo que por breves momentos na linha de costa a norte do Cabo Carveiro poderá chegar aos 40 km/h. As rajadas poderão atingir 65 km/h durante a tarde provocando uma autêntica ventania nos territórios do litoral. Nas terras altas o vento soprará ainda mais forte com rajadas até 85 km/h. A formação de nevoeiro matinal é inevitável, sobretudo em vales de rios. Caminhando para sul, projeta-se uma subida ligeira da temperatura mínima.

Quarta-feira: a chuva aumenta de intensidade

Na quarta-feira, o céu continuará muito nublado e a presença de precipitação intensificar-se-á na região Sul, alargando-se posteriormente para as regiões Centro e Norte e persistindo forte e intensivamente nos territórios enquadrados no Minho e Douro Litoral. Prevê-se queda de neve acima de 800 metros, sendo que a cota subirá apenas para os pontos mais elevados da Serra da Estrela no final da manhã. Quanto ao vento, será fraco a moderado vindo de oeste entre 30 e 40 km/h com rajadas até 65 km/h no litoral a norte do Cabo Carvoeiro. Nas terras altas, as rajadas de vento serão novamente intensas podendo atingir 85 km/h. A temperatura mínima sofrerá uma pequena descida tanto na região Norte como na região Centro.

Quinta-feira: o dia mais chuvoso da semana

No último dia do mês, de Norte a Sul, a chuva tomará conta do país. A precipitação assumirá regimes de chuva moderada grande parte do dia alternando por vezes com períodos de “chuva miudinha”. Incidirá na região Norte, nomeadamente no Minho e Douro Litoral, estendendo-se também a Trás-os-Montes posteriormente.

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Viseu serão os mais afetados. No entanto, no interior e em direção a sul, Castelo Branco e Portalegre somarão perto de 20 mm de chuva neste dia. Vento moderado a forte, predominante do quadrante oeste e girando por vezes para sudoeste, até 60 km/h. As rajadas poderão ser de 80 km/h por vezes.

A exceção neste panorama meteorológico de chuva será a região do Algarve com pouco mais do que 1 mm de chuva acumulado ao longo das 24 horas de quinta-feira. Na capital a chuva será fraca e por breves períodos teremos apenas céu muito nublado. Não olvide o guarda-chuva, agasalhe-se bem e proteja-se do frio.

Publicidade