Sismo de magnitude 2,8 nos Açores ontem: saiba mais

Um sismo com magnitude 2,8 na escala de Richter foi ontem sentido no concelho de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, Açores declarou em comunicado o CIVISA.

Alfredo Graça Alfredo Graça 17 Jan. 2019 - 12:38 UTC
No caso da Ilha de São Miguel, o sismo que ocorreu ontem teve origem na interação entre o sistema tectónico e o sistema vulcânico.

Segundo o CIVISA - Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores, o sismo que ontem ocorreu nos Açores, na ilha de São Miguel foi registado às 16:40 locais (mais uma hora no continente) e teve epicentro a cerca de seis quilómetros a sul-sudoeste de São Brás.

"De acordo com a informação disponível até ao momento o sismo foi sentido com intensidade máxima IV (Escala de Mercalli Modificada) em Água d'Alto, S. Pedro, S. Miguel e Ribeira Seca, concelho de Vila Franca do Campo", afirmava o CIVISA na altura em que se deu o sismo. Para melhor sabermos o que significa intensidade máxima IV, deitemos um olhar pela classificação existente respetivamente à Escala de Mercalli.

Escala de Mercalli: O que é?

A escala de Mercalli diz respeito à intensidade com que um sismo é percecionado e possui 12 níveis, entre o impercetível e o de danos quase totais. O nível IV corresponde a um sismo Moderado nesta escala. Segundo a classificação disponível no site do IPMA, convém esclarecer quais os níveis de classificação relativos aos eventos sísmicos que ocorreram nestes dois dias.

I - Impercetível
Não sentido. Efeitos marginais e de longo período no caso de grandes sismos.

II-Muito fraco
Sentido pelas pessoas em repouso nos andares elevados de edifícios ou favoravelmente colocadas.

III-Fraco
Sentido dentro de casa. Os objetos pendentes baloiçam. A vibração é semelhante à provocada pela passagem de veículos pesados. É possível estimar a duração mas não pode ser reconhecido com um sismo.

IV - Moderado
Os objetos suspensos baloiçam. A vibração é semelhante à provocada pela passagem de veículos pesados ou à sensação de pancada duma bola pesada nas paredes. Carros estacionados balançam. Janelas, portas e loiças tremem. Os vidros e loiças chocam ou tilintam. Na parte superior deste grau as paredes e as estruturas de madeira rangem.

O que leva à formação de um sismo?

Um sismo é uma libertação repentina de tensão acumulada por rotura dos materiais que compõem a crosta terrestre. A grande maioria dos sismos são tectónicos e ocorrem devido ao choque entre placas tectónicas, o que acaba por gerar ondas sísmicas. Também podem ter origem vulcânica, relacionada com o magma que se movimenta na câmara magmática ou com a pressão que o magma faz para ascender à superfície.

O Arquipélago dos Açores é alvo de atividade sísmica regular. Mas afinal, o que está por trás deste processo? Por se localizarem numa zona bastante ativa tectónica e vulcanicamente, as Ilhas reúnem as condições geológicas que favorecem a ocorrência dum evento sísmico. No caso da Ilha de São Miguel, o sismo que ocorreu ontem teve origem na interação entre o sistema tectónico e o sistema vulcânico.

Publicidade