Ciclones tropicais: origens e designações

Todos os anos ciclones tropicais com forte poder destruidor atingem diferentes regiões do globo. Recentemente tivemos ciclones tropicais como o tufão Faxai que atingiu Tóquio e o furacão Dorian, que devastou o noroeste das Bahamas. Saiba mais aqui.

Teresa Abrantes Teresa Abrantes 14 Set. 2019 - 17:40 UTC
O Furacão Dorian em ação em direção às Bahamas, local onde causou enorme devastação.

Recentemente tivemos mais ciclones tropicais a atingir algumas zonas do globo, como foi o caso do tufão Faxai que atingiu Tóquio e o furacão Dorian, que devastou o noroeste das Bahamas e causou danos na Costa Leste dos Estados Unidos e nas províncias atlânticas do Canadá.

Origem dos ciclones tropicais

O clima nos trópicos é quente e húmido devido ao facto da Terra nas regiões tropicais receber mais energia solar do que a que envia de volta ao espaço. Este super-aquecimento nas regiões tropicais produz condições específicas na atmosfera que podem afetar qualquer região do globo. A circulação geral da atmosfera é devida à distribuição diferenciada de energia solar a nível global.

Em certas épocas do ano, chuvas e trovoadas podem ocorrer todos os dias nas regiões tropicais e as temperaturas elevadas (geralmente entre 22 °C e 35 °C) são constantes ao longo do ano, com muito poucas mudanças. Portanto, as estações tropicais não são definidas por períodos de calor e frio, mas sim por mudanças nas chuvas e na nebulosidade. Essas condições quentes e húmidas sobre as regiões tropicais dos oceanos são os principais ingredientes necessários para a formação de ciclones tropicais.

Um ciclone tropical é um sistema que possui um centro de baixa pressão com um forte sistema convectivo (movimentos verticais ascendentes) associado que produzem ventos e chuvas muito fortes. Estes sistemas variam em intensidade, desde depressões tropicais, ventos inferiores a 61 km/h, passando por tempestade tropical, ventos superiores a 61 km/h até furacões e tufões, quando o vento atinge valores superiores a 118 km/h. Todos eles podem ter associadas chuvas devastadoras que ocorrem com uma taxa de precipitação elevadíssima, superior a 50 mm/h.

Origem da palavra Furacão

A força dos ciclones tropicais e o seu efeito devastador está por trás da origem da palavra furacão, “hurricane” em inglês. "Hurricane" deriva da palavra "hurican", o Deus do Mal do povo Índio Caribe, que por sua vez vem do Deus maia Hurikan, um dos deuses criadores. Em essência, a palavra "furacão" significa "vento mau".

Como são escolhidos os nomes dos ciclones tropicais?

Os nomes dados a ciclones tropicais são retirados de uma lista sazonal, que varia conforme a bacia e são definidas com antecedência. Cada agência meteorológica responsável por uma bacia apresenta os nomes que pretendem usar e posteriormente têm de ser aprovados pela Organização Meteorológica Mundial. No caso de ciclones tropicais excepcionalmente destrutivos, o seu nome é retirado definitivamente de qualquer lista e outro nome é posto no seu lugar.

Os ciclones tropicais quando começaram a ser designados por nomes de pessoas, o que ocorreu na Austrália, no final do século XIX, eram identificados unicamente com nomes femininos. A introdução de nomes masculinos nos nomes de ciclones tropicais aconteceu em 1975 na região da Austrália e posteriormente em 1979 no Atlântico norte.

Publicidade