Variação do nível do mar: principais causas

A variação do nível do mar está associada a dois fatores, a eustasia e a isostasia. O primeiro é relativo ao volume das bacias oceânicas, enquanto que o segundo está relacionado com os movimentos tectónicos. Confira aqui!

Joana Campos Joana Campos 12 Set. 2019 - 14:02 UTC
A variação do mar pode depender da sua temperatura.

A variação eustática (eustasia) resulta de qualquer fator que faça variar, de forma significativa, o volume de água presente no oceano. Uma das causas da eustasia é a variação da quantidade de água presente nos oceanos, devido às alterações climáticas abruptas que ocorrem desde o início do Quaternário (período da escala de tempo geológico em que vivemos), em que se dá a fusão de calotas polares e/ou o aprisionamento de água em massas de gelo.

A oscilação do volume da água do mar depende também da expansão e contração térmica causada pela variação significativa da sua temperatura. Este processo é designado de “estereoeustasia” e pode causar regressão ou transgressão, consoante a temperatura da água. Outra das causas é a mudança do volume das bacias oceânicas, como a que ocorreu com o alargamento do Oceano Atlântico, devido à divergência das placas tectónicas, fazendo assim com que estes dois fatores (eustasia e isostasia) estejam interligados.

Os movimentos isostáticos, como referido acima, estão diretamente ligados à tectónica de placas, provocando assim a subida e descida dos continentes e por consequência, o recuo e o avanço do nível da água do mar respetivamente. Uma das principais causas da isostasia é a glacio-isostasia que se dá quando há formação de inlandsis, isto é, grandes mantos de gelo que cobrem uma área igual ou superior a 50.000 km².

Este fenómeno foi observado no pico máximo da Glaciação de Würm há, aproximadamente, 18.000 anos, onde o mar recuou cerca de 120 metros devido à formação de inlandsis que chegavam aos 3 km de espessura, em alguns locais da Escandinávia, por exemplo. O peso destes mantos de gelo originou uma subsidência (descida) dessa região, fazendo com que os Países Baixos emergissem (subissem).

Exemplos de subida e descida do nível do mar

Atualmente, com o degelo desses inlandsis acontece o contrário, ou seja, a Escandinávia está a emergir e, por consequência, o nível do mar está a descer (prova disso são as praias fósseis visíveis em alguns locais desta região), e os Países Baixos a subsidir, sendo que o nível do mar está a subir. Uma outra causa poderá ser a sedimento-isostasia em que a deposição excessiva de sedimentos poderá ter os mesmos efeitos que a deposição do gelo.

Publicidade