O 'monstro', ou shelf cloud, de ontem em Pescara

Ontem à noite uma espetacular ‘shelf-cloud’ silenciou a região italiana de Abruzzo. As nuvens escuras, o vendaval e os trovões, afundaram-se no Adriático, no inverno, depois de alguns dias primaveris.

Alfredo Graça Alfredo Graça 12 Mar. 2019 - 08:48 UTC

A península itálica estava envolta num tempo primaveril há já alguns dias, com temperaturas máximas próximas a 20 °C que na semana passada convidavam a tirar os casacos, finalmente, depois de um início de ano frio e instável. Ontem, no entanto, a chegada de uma frente fria que aguardava o ar polar mudou radicalmente o tempo. A meio da tarde, a região de Abruzzo viu o céu a ficar escuro. As nuvens começaram a formar “rodopios” nas margens do Mar Adriático até originar uma enorme "shelf cloud". Este tipo de formação de nuvens é muitas vezes acompanhado de fortes rajadas de vento e, por vezes, chuvas intensas. A tempestade de ontem na cidade de Pescara cumpriu com a primeira máxima, mas não com a segunda.

Por volta das 17h30, o vento intensificou e chegou a apresentar rajadas próximas a 50 km/h, de acordo com uma estação meteorológica local. Além disso, a temperatura desceu cerca de 3 ºC, passando de 14 para 11 ºC em apenas alguns minutos. O céu fazia prever uma boa chuvada, mas depois registaram-se pouco mais de 3 litros por metro quadrado. Isso sim, em troca dos inúmeros danos produzidos pelo vendaval. Os bombeiros tiveram que remover ramos de árvores e cartazes publicitários das estradas, além de proteger alguns telhados danificados pelo vento.

Noutras partes de Itália choveu mais intensamente e inclusive, em conjunto com a descida das temperaturas, a neve regressou às montanhas na cota dos 1100/1500 metros. Hoje poderão ainda registar-se alguns aguaceiros. O ambiente será frio com vento moderado a forte do quadrante norte. Itália está a viver um último golpe invernal.


Publicidade