Lua Cheia Azul ilumina o céu amanhã: não perca!

Este sábado 18 de maio, acolhe um evento muito especial. Será o momento para observarmos uma Lua Cheia... que é azul! Aproveite bem, fenómeno semelhante só volta a acontecer em agosto de 2021.

Alfredo Graça Alfredo Graça 17 Maio 2019 - 15:41 UTC
Uma lua azul não é realmente azul. Porque será? Algo para observar amanhã (18 de maio) a partir das 22:11h.

Será já amanhã, sábado 18 de maio, que poderemos observar uma lua azul. Ao contrário de uma lua de sangue ou de uma super lua, na verdade a lua azul não se distingue através do aspeto em relação a qualquer outra lua – é meramente uma expressão adotada baseada num evento astronómico. Assim, luas azuis não são azuis, a etimologia da expressão baseia-se ironicamente num exemplo arbitrário de algo falso.

O termo remonta a um cartaz anticlerical de 1528, no qual dois frades convertidos discutem a ideia de que os homens do Clero tem tendência a impôr verdades inquestionáveis. Se um clérigo afirmasse que a lua é azul, a fé exigia que qualquer um acreditasse nisso.

O que é uma lua azul?

A Lua orbita a Terra a cada 29.5 dias. Apesar da palavra “mês” derivar da palavra “lua”, o calendário mensal dura 30 ou 31 dias; isto significa que a cada poucos anos, há 13 luas cheias no ano, em vez de 12. Isto faz com que exista uma Lua cheia extra numa das quatro estações – a lua azul é a terceira lua cheia nesta estação. Uma lua azul ocorre, em média, a cada 2,7 anos.

A definição acima baseia-se nas estações astronómicas, em vez do calendário do ano civil. Outra definição da lua azul é amplamente conhecida e baseia-se no calendário gregoriano: a segunda lua cheia num mês. Segundo esta definição, uma lua azul é mais comum, no entanto, é considerada como sendo atribuída a uma simples má interpretação por parte de um escritor numa edição da revista Sky & Telescope em 1946. De acordo com o jornal “Mirror”, os mais interessados e curiosos poderão espreitar o céu e admirar o nosso belo satélite natural a partir das 22 horas e 11 minutos de amanhã (18 de maio). Aproveite bem o momento para captar belíssimas fotografias já que este fenómeno só se voltará a repetir em agosto de 2021.

A Lua alguma vez fica realmente azul?

Apesar da lua vermelha ser muito mais comum, as luas azuis podem realmente surgir. Como? Para tal acontecer, a luz vermelha e amarela deve ser afastada do caminho entre a lua e o seu observador, trata-se de facto, do oposto ao processo que nos proporciona o céu azul. O céu é azul porque as moléculas de ar são muito pequenas, mas se o ar possuísse partículas maiores, comparáveis em dimensão ao comprimento de onda da luz vermelha (e apenas este tamanho de partícula), então a luz vermelha poderia dispersar-se, deixando-nos com o azul.

Os processos e fenómenos naturais que podem conceber partículas da dimensão correta são os vulcões e os grandes incêndios. Existem relatos ao longo da história de luas azuis reais após grandes incêndios florestais em locais como a Suécia e o Canadá, ou até mesmo após erupções vulcânicas como o El Chichón no México, o Mount St. Helens nos EUA e Krakatoa na Indonésia. Como o tamanho das partículas tem de ser extremamente preciso para ser o correto, uma verdadeira lua azul é uma das mais raras e excecionais visões do mundo natural.

Publicidade