Espécies mais ameaçadas pela crise dos incêndios na Austrália

A contínua crise de incêndios florestais na Austrália, causou um enorme prejuízo à vida selvagem, com um grande número de mamíferos, aves, répteis, insetos e outras espécies mortas. Contamos-lhe mais aqui.

Joana Campos Joana Campos 25 Jan. 2020 - 12:01 UTC
Coala, num cenário de incêndio.
Alguns ecossistemas podem demorar alguns anos a recompôr-se, outros podem demorar décadas e outros mais de um século.

O ecologista Chris Dickman estima que mais de um bilião de animais morreram em todo o país - um número que exclui peixes, sapos, morcegos e insetos. “É quase certo que o número de espécies e ecossistemas que foram severamente afetados seja muito maior, especialmente ao considerar as espécies menos conhecidas de répteis, anfíbios e invertebrados.” Em baixo, estão listadas algumas espécies que correm risco de ficarem extintas.

Catatua-preta “glossy”

A Ilha Kangaroo abriga uma subespécie única de catatua-preta e, devido aos incêndios que devastaram dois terços da ilha, existem preocupações com o habitat dos pássaros. A análise preliminar sugere que entre 50% a 60% do seu habitat foi queimado.

Dunnart

Mesmo antes dos incêndios, havia preocupações com o futuro do dunnart, também da Ilha Kangaroo, um pequeno marsupial que só foi visto neste local. A espécie está na lista de espécies ameaçada e teme-se que os incêndios possam ter exterminado estes animais.

Coala

Os incêndios no norte de Nova Gales do Sul em outubro e novembro, destruíram os principais habitats de coalas. Estima-se que milhares de animais tenham morrido no desastre, no entanto, existem populações noutras partes do país que não são afetadas pelo fogo.

Rato do rio de Hastings

Esta espécie é um pequeno roedor que já estava ameaçado antes do fogo atingir o seu habitat, no norte de Nova Gales do Sul. É uma das espécies que os especialistas procuram avaliar no terreno, já que pouco se sabe sobre como responde ao fogo.

Wallaby-de-cauda-pincel

O canguru de cauda caída é listado como uma espécie vulnerável e está ameaçada de extinção, na Nova Gales do Sul. Quando os incêndios destroem a vegetação nativa, reduzem o habitat e os alimentos disponíveis para as espécies, mesmo que estas sobrevivam às chamas.

Rã do Sul

A parte norte dos Alpes é um refúgio para a rã do Sul, que está criticamente ameaçada. Os especialistas também temem pelo sapo do Norte, caso o fogo alcance o parque nacional de Namadgi, já que este é próximo da área onde ele habita.

Quokka

Os incêndios florestais na cordilheira de Stirling na Austrália Ocidental, destruíram o habitat principal para o quokka. Enquanto a espécie tem a sua fortaleza na Ilha Rottnest, teme-se que as suas populações do continente tenham sofrido um grande decréscimo.

Papagaio ocidental

O papagaio ocidental é uma das espécies da Austrália mais ameaçadas de extinção. Existem menos de 150 papagaios em estado selvagem e os incêndios são uma ameaça para a população restante no parque nacional de Cape Arid.

Bristlebird do norte oriental

Estima-se que restavam menos de 50 na natureza antes desta temporada de incêndios. Parte do seu habitat em Queensland foi perdida por incêndios. O governo anunciou que vai investir 50 milhões de dólares na ajuda, resgate e proteção da vida selvagem afetada pelos incêndios.

Publicidade