Tempestade Gloria 'ataca' Espanha em força

A tempestade Gloria está a afetar com grande violência o território continental espanhol, trazendo consigo todo os ingredientes de uma verdadeira tempestade de inverno. Fique a conhecer todos os pormenores connosco.

João Tomás João Tomás 22 Jan. 2020 - 10:18 UTC
Mar agitado
Efeitos da tempestade Gloria na costa espanhola.

Desde o início da semana que o território continental espanhol, bem como as Ilhas Baleares, tem sofrido os impactos da passagem da tempestade “Gloria”. As áreas mais afetadas são o Sul e o Este de Espanha, nomeadamente toda a costa mediterrânica da Comunidade Valenciana, Catalunha e Baleares. As autoridades locais colocaram 36 municípios em alerta meteorológico. Neste momento, a força destrutiva deste evento já provocou 4 vítimas mortais e prejuízos materiais avultados.

Em relação à chuva, acumularam-se em certas áreas 400 mm. Estes valores de precipitação são potenciadores de inundações, que de resto se verificaram em áreas próximo da fronteira francesa. A neve atingiu 1 metro de altura na Comunidade Valenciana e em algumas áreas da Catalunha. A velocidade do vento nalgumas áreas era de 100 km/h, sendo que as rajadas superaram os 130 km/h nos pontos mais elevados.

Esta tempestade tem batido recordes a vários níveis. No Arquipélago das Baleares, mais especificamente na Ilha de Palma de Maiorca, foi registada a maior onda de sempre naquela área: 14,22 metros de altura. O anterior recorde cifrava-se em metade deste valor. Na costa do Mediterrâneo, em Barcelona, as ondas chegaram aos 8 metros tendo mesmo destruído algumas infraestruturas junto à costa.

Efeitos da tempestade na costa mediterrânica

Devido à força da chuva e da neve, cerca de 220 mil pessoas estão sem eletricidade em casa, na província de Girona, nordeste de Espanha. Um número idêntico de alunos permanece sem aulas na Comunidade Valenciana. Cerca de 2600 quilómetros de estradas estão completamente cobertos de neve, estando à volta de 1000 quilómetros completamente encerrados. O Aeroporto da cidade de Alicante esteve encerrado, levando ao cancelamento de todas as ligações aéreas nacionais e internacionais.

As autoridades locais aconselharam a população a não sair de casa devido aos riscos relacionados com a velocidade do vento, com a precipitação forte e com as temperaturas muito baixas. Os intensos nevões e as chuvas muito fortes colocam inúmeros perigos e constrangimentos à circulação automóvel. Os condutores devem ter especial atenção às condições da estrada, moderar a velocidade seguir as indicações das autoridades. É ainda essencial que a população se afaste o mais possível da orla costeira, de forma a evitar acidentes decorrentes da forte agitação marítima.

É importante salientar que à medida que nos aproximamos do fim da semana, as preocupações transferem-se mais para Este, para as autoridades francesas. A intensa queda de neve já se verifica nos Pirenéus Orientais e a estância balnear de Argèles-sur-Mer já sofreu diretamente os impactos da chuva forte e da agitação marítima, um recorde no Mediterrâneo.

Publicidade