Ciclone Vayu ameaça Índia com ventos superiores a 170 km/h

Alerta vermelho na Índia! Ciclone Vayu dirige-se perigosamente para o oeste indiano, esperando-se que atinja a região costeira de Gujarat com ventos superiores a 170 km/h. Já foram evacuadas 300 mil pessoas.

Alfredo Graça Alfredo Graça 12 Jun. 2019 - 19:06 UTC
O Ciclone Vayu fará landfall na região de Gujarat, oeste da Índia, como ventos superiores a 170 km/h.

Seis milhões de pessoas podem vir a ser afetadas pelo ciclone tropical Vayu que se dirige perigosamente para o oeste da Índia. Cerca de 300 mil pessoas já foram retiradas das suas casas e colocadas em abrigos temporários, segundo fontes oficiais do Governo indiano.

O alerta vermelho já foi lançado. Áreas costeiras já foram evacuadas e as autoridades indianas estão a preparar-se para o impacto de um dos ciclones mais fortes das últimas décadas. Começou por ganhar força no Mar da Arábia e agora poderá ultrapassar os 170 km/h e provocar danos severos.

Segundo o Instituto de Meteorologia da Índia, a tempestade deverá deslocar-se de forma veloz e intensa, receando-se que devaste tudo pelo caminho. Estima-se que cruze a costa do estado de Gujarat bem como a ilha de Diu, com ventos que podem superar os 170 km/h na manhã de quinta-feira 13 de junho.

Prevê-se também precipitação muito intensa sobre as várias regiões de Gujarat, com acumulados de chuvas torrenciais estimados entre os 115 e os 204 mililitros diários. Teme-se que o ciclone inunde as áreas de relevo mais baixo na costa na parte Oeste, com elevada probabilidade de provocar danos materiais imensos como explosão de objetos pesados e destruição das infraestruturas de telecomunicações. Atividades no mar foram totalmente suspensas.

Como se forma um ciclone tropical?

Ciclone tropical é o termo aplicado para um ciclone que tem origem nos oceanos tropicais, ou seja, um sistema de baixa pressão não frontal a um escala não sinótica que se gera sobre águas tropicais e subtropicais com forte convecção. A escala de Saffir-Simpson vai de 1 a 5 e é usada para classificar a intensidade dos ventos dos furacões, para os classificar por categorias.

Na categoria 1 os ventos sopram entre 119 km/h e 153 km/h, enquanto que na categoria 5 os ventos são superiores a 249 km/h. Nas categorias intermédias, categoria 2, ventos entre 154 km/h e 177 km/h; categoria 3, ventos entre 178 km/h e 210 km/h e categoria 4, ventos entre 211 km/h e 249 km/h. Pode-se afirmar que para já o Ciclone Vayu é de categoria 3, podendo eventualmente chegar à categoria 4.

Histórico recorrente

As catástrofes meteorológicas são habituais no sul da Ásia e a passagem de ciclones geralmente atravessa de forma dramática a costa da Índia, causando mortes. O ciclone coincide com a onda de calor no norte e no sul do país, onde foram registadas nas últimas semanas temperaturas recorde.

Nova Deli registou temperaturas de 48 ºC na segunda-feira, a temperatura mais elevada registada nesta época do ano. A cidade de Churu, no deserto de Thar, registou temperatura acima dos 50 ºC, ultrapassando os valores históricos nacionais.

Em Maio, o ciclone Fani matou pelo menos 34 pessoas na costa leste da Índia. Nesse mês 1.2 milhões de pessoas foram deslocadas antes da chegada do ciclone. Em 1990 dez mil pessoas morreram devido à destruição de um ciclone que fez prejuízos de muitos milhões de dólares.

Publicidade