Ciclone Kenneth: outro Idai no caminho de Moçambique

Assustador! Pouco mais de um mês depois de ser atingido pelo ciclone Idai, responsável por centenas de mortes e graves prejuízos materiais, Moçambique está prestes a ser afetado pelo ciclone Kenneth, com chuvas torrenciais e rajadas de vento de 200 km/h.

Alfredo Graça Alfredo Graça 24 Abr. 2019 - 14:39 UTC
Depois do Idai, chega o ciclone Kenneth a Moçambique. Potenciais danos severos na região norte do país e também no sul da Tanzânia. Fonte: EUMETSAT.

Atenção Moçambique! Um novo ciclone tropical formado no oceano Índico deverá atingir já amanhã o norte de Moçambique, com ventos fortes e chuvas torrenciais. Inicialmente, deslocava-se como uma tempestade tropical de moderada intensidade, prevendo-se que atinja o norte de Moçambique, mas também o sul da Tanzânia.

As previsões apontavam para a chegada da tempestade tropical, que entretanto evoluiu para a categoria de ciclone tropical, a partir do canal de Moçambique. Dado que as águas superficiais do canal registavam valores térmicos acima dos 28 ºC, o aquecimento destas águas proporcionam as condições ideais para a evolução deste sistema para tempestade tropical, ou caso atingisse a categoria 3, o que foi o caso, passasse a ser designado de ciclone.

Alerta vermelho ativado

Os alertas sobre a aproximação do ciclone Kenneth originado em Madagáscar, começaram a circular na passada segunda-feira. Desta forma, mais de 692 mil pessoas estão em risco enorme de ser afetadas pela passagem do ciclone Kenneth na região norte do país, em especial nas províncias de Cabo Delgado e Nampula. Perante esta evidência, o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades requereu activação do alerta vermelho.

Além do norte de Moçambique, o ciclone Kenneth, que começou como uma depressão atmosférica no oceano Índico, evoluindo para tempestade tropical e depois para a categoria 3 (ciclone) poderá atingir também o sul da Tanzânia, país fronteiriço.

O ciclone Kenneth permanece rumo à costa da província de Cabo Delgado onde deverá entrar pelo distrito de Palma já amanhã (25), no entanto a partir da tarde de hoje, o INAM (Instituto Nacional de Meteorologia), prevê que o tempo já seja influenciado por enormes chuvadas na ordem de 100 mm acumulados em 24 horas, bem como trovoadas e ventos fortes na ordem dos 80 a 130 km/h.

Aliás, no canal de Moçambique o agravamento do estado de tempo deverá provocar uma enorme agitação marítima bem como a redução da visibilidade por força das chuvas intensas. As rajadas de vento deverão atingir 200 km/h ao longo das próximas horas e a chuva deverá intensificar também.

Conselhos para a população

  • Acompanhar a evolução do ciclone através dos órgãos oficiais de comunicação social;
  • Não deslocar ou circular em áreas ribeirinhas ou na envolvência de bacias hidrográficas;
  • Não utilizar estradas que constituam perigo para a circulação e tentar não ficar em sítios que tenham árvores, postes de iluminação, etc.

Depois do Idai, chega o ciclone Kenneth

Pouco mais de um mês depois do ciclone Idai, Moçambique está prestes a ser alvo de outro ciclone, o Kenneth. Na altura, Moçambique foi gravemente atingido pelo Ciclone Idai. A 14 de março, o ciclone Idai bombardeou o centro de Moçambique, provocando 603 vítimas mortais, tendo ainda prejudicado mais de 1,5 milhões de pessoas.

O país ainda não recuperou totalmente dos graves prejuízos provocados pelo ciclone Idai e mantém dificuldades de circulação e de comunicação em algumas áreas e regiões do país, como em Sofala. Muita precaução agora com o ciclone Kenneth!

Publicidade