Albânia: sismo mais forte dos últimos 30 anos faz dezenas de feridos

O terramoto teve magnitude de 5,8 na escala de Richter, gerando imensos danos materiais na área costeira da Albânia. A profundidade do sismo teve apenas 10 quilómetros e sucederam-se algumas réplicas. Imagens impressionantes!

Alfredo Graça Alfredo Graça 22 Set. 2019 - 11:20 UTC

Um sismo de magnitude 5,8 na escala de Richter abalou ontem a Albânia, causando ferimentos em cerca de 68 pessoas e provocando prejuízos materiais severos, sem felizmente originar mortes. De acordo com as primeiras informações providenciadas pelo Ministério da Defesa albanês, este foi o sismo mais forte dos últimos 30 anos.

O Instituto de Geociências de Tirana relata que o sismo ocorreu às 14:04 locais, (15h04 em Portugal continental), numa área costeira situada a 30 quilómetros da cidade portuária de Durres, tendo tido profundidade de somente 10 quilómetros. Onze minutos mais tarde gerou-se uma réplica de magnitude 5,4.

O sismo provocou pânico e danos materiais consideráveis e nos primeiros momentos as autoridades albanesas tiveram conhecimento de 26 pessoas com ferimentos significativos.

Entre os vários edifícios que sofreram danos conta-se a Faculdade de Geologia da Universidade de Tirana, onde ruiu parte do telhado, um estádio de futebol onde é visível o pânico dos jogadores e do público que assistia ao jogo, a queda parcial de uma vedação na rua Porto Romano em Durres e os momentos de susto duma apresentadora de estação televisiva albanesa. De facto, também vários supermercados, através das câmaras de videovigilância registaram os abalos fortes originados pelo sismo.

O terramoto foi sentido também na ilha grega de Corfú, mas não causou danos, segundo uma fonte da Proteção Civil local.

Publicidade