tempo.pt

O maior predador terrestre da Europa foi desenterrado na Ilha de Wight

Ossos dum dos maiores predadores terrestres da Europa encontrados na Ilha de Wight foram identificados por paleontologistas da Universidade de Southampton.

Restos do grande predador do Continente desenterrados na Ilha de Wight
Ilustração do espinossauro de White Rock por Anthony Hutchings. Créditos: UoS, A Hutchings.

Restos de um dos maiores dinossauros terrestres da Europa, desenterrados na Ilha de Wight, foram identificados por paleontologistas da Universidade de Southampton, que lhe chamaram carinhosamente o 'espinossauro de White Rock'.

O espinossauro, um dinossauro de duas patas, com cara de crocodilo, que viveu há 125 milhões de anos, recebeu o nome da camada geológica na qual foi encontrado, e era um predador de proporções impressionantes.

"Este era um animal enorme, com mais de 10m de comprimento e provavelmente com várias toneladas de peso. A julgar por algumas das dimensões, parece representar um dos maiores dinossauros predadores jamais encontrados na Europa - talvez o maior conhecido até agora", diz o estudante de Doutoramento Chris Barker, que liderou o estudo publicado em PeerJ.

"É uma pena que só seja conhecido a partir de uma pequena quantidade de material, mas estes são suficientes para mostrar que se tratava de uma criatura imensa".

Desenterrando um gigante

Os restos mortais, guardados no Museu da Ilha dos Dinossauros em Sandown, foram encontrados perto de Compton Chine, uma área na costa sudoeste da Ilha de Wight. As rochas cretáceas aqui são bem conhecidas por abrigarem os restos de muitos dinossauros, embora os dinossauros de outros períodos menos pesquisados da história também estejam preservados no seu registo fóssil.

As imensas vértebras pélvicas e caudas do espinossauro, mais muitos outros ossos, foram encontrados na Formação Vectis, que preserva o início de um período de subida do nível do mar onde o 'espinossauro de White Rock' provavelmente procurou alimento em águas lagunares e planícies de areia.

O maior predador terrestre do continente descoberto na Ilha de Wight
Posição dos ossos mais bem conservados. Créditos: Chris Barker e Dan Folkes.

"Invulgarmente, este espécime erodiu da Formação Vectis, que é notoriamente pobre em fósseis de dinossauros," explica o Dr. Neil Gostling, coautor e conferencista em Evolução e Paleobiologia. "É provável que seja o material do espinossauro mais jovem ainda conhecido do Reino Unido".

Como o espinossauro só é conhecido a partir de fragmentos, não lhe foi dado um nome científico formal - ainda, diz Darren Naish, da Escola de Biologia, e coautor do artigo.

"Este novo animal reforça o nosso argumento anterior - publicado no ano passado - de que os dinossauros espinossauros eram originários e diversificados na Europa Ocidental antes de se tornarem mais disseminados", acrescenta.

O predador virou jantar

As marcas encontradas nos ossos do espinossauro sugerem que o predador gigante se tornou uma fonte de alimento para necrófagos e decompositores.

Muitos dos fósseis foram descobertos por Nick Chase, um dos caçadores de dinossauros mais qualificados da Grã-Bretanha, diz Jeremy Lockwood, estudante de Doutoramento na Universidade de Portsmouth e no Museu de História Natural: "Eu estava à procura de restos deste dinossauro com Nick e encontrei um pedaço de pélvis com túneis escavados, cada um do tamanho do meu dedo indicador. Nós pensamos que foram causados por larvas comedoras de ossos de um tipo de escaravelho necrófago. É um pensamento interessante que este gigantesco assassino acabou por se tornar uma refeição para uma série de insetos."

Num futuro próximo, os investigadores esperam gerar secções finas do material ósseo para investigar a sua estrutura interna microscópica a fim de fornecer informações sobre a sua taxa de crescimento e idade potencial.