tempo.pt

Encontrado fóssil de embrião de dinossauro preservado no seu ovo

A descoberta de um fóssil de embrião perfeitamente preservado no seu ovo, além de ser impressionante, permite fortalecer o conhecimento da relação das aves atuais com certos dinossauros.

Dinossauro
Imagem do embrião oviraptorossauro "Baby Yingliang".

A descoberta é verdadeiramente perturbadora e algo nunca antes visto. O fóssil de um dinossauro bebé aconchegado perfeitamente dentro do seu ovo também lança alguma luz sobre as ligações entre dinossauros e aves. Como relata a CNN, o fóssil de 70 milhões de anos preserva o esqueleto embrionário de um dinossauro oviraptor, que recebeu o nome de Baby Yingliang, em homenagem ao museu chinês que o abriga.

Os ossos de dinossauros bebés são tão pequenos e frágeis, que raramente são preservados como fósseis. Darla Zelenitsky, professora associada no Departamento de Geociências da Universidade de Calgary, no Canadá, disse que esta descoberta é algo realmente muito bom para a ciência.

Zelenitsky é coautora da investigação publicadada na revista iScience, e disse que trabalha com ovos de dinossauro há 25 anos e nunca viu nada parecido. Até esta descoberta, muito pouco se sabia sobre o que acontecia dentro de um ovo de dinossauro antes da eclosão, pois há muito poucos esqueletos embrionários. Neste caso, trata-se de um embrião completo e preservado numa posição de vida.

Pistas sobre as aves modernas

Os dados específicos indicam que o ovo tem cerca de 17 centímetros de comprimento e estima-se que o dinossauro mede 27 centímetros de comprimento da cabeça à cauda. Os investigadores que trabalham sobre este assunto acreditam que, como adulto, se tivesse vivido, teria tido entre dois a três metros de comprimento.

Os investigadores da China, Reino Unido e Canadá que estudaram as posições de Baby Yingliang e outros embriões de oviraptor previamente encontrados, concluíram que os dinossauros se moviam e mudavam de postura antes do nascimento, de forma semelhante aos pássaros bebés. Nas aves modernas, tais movimentos estão associados a um comportamento chamado dobrar. Que controla o sistema nervoso central e é essencial para o sucesso da incubação.

Os cientistas ficaram surpreendidos ao ver este embrião preservado dentro de um ovo de dinossauro, deitado numa postura de um pássaro. Esta postura não tinha sido reconhecida antes em dinossauros não-aviários. Todas as aves que conhecemos evoluíram diretamente a partir de um grupo de dinossauros de duas patas conhecidos como terópodes. Os seus membros incluem o imponente Tyrannosaurus rex e os velociraptores mais pequenos.

Uma década esquecida

O comportamento prévio à eclosão não é a única coisa que as aves modernas herdaram dos seus antepassados dinossauros. Sabe-se também que o mesmo tipo de dinossauros se sentou sobre os seus ovos para os incubar de forma semelhante às aves. Este fóssil foi descoberto na província chinesa de Jiangxi e adquirido em 2000 por Liang Liu, diretor de uma empresa chinesa de pedras chamada Yingliang Group. Acabou armazenado e em grande parte esquecido. Demorou 10 anos para o pessoal do museu classificar as caixas durante a construção do Museu de História Natural Yingliang Stone. Este museu é subsidiado pela empresa.

Ovo de dinossauro
Recriação de um embrião de oviraptorossauro prestes a nascer, baseada no novo espécime "Baby Yingliang".

Em última análise, esta descoberta reforça a teoria de que as aves modernas têm os seus antepassados nos dinossauros. Os oviraptossauros, cujo nome significa "lagarto roubador de ovos", eram dinossauros com penas que viviam na Ásia e América do Norte durante o Cretáceo superior. Estes animais podiam ter formas de bico e dietas diferentes, e o seu tamanho podia variar desde o de um símio até o de um gigantesco gigantoraptor, que tinha oito metros de comprimento, de acordo com a DW.

O estado de conservação deste embrião deve-se provavelmente a um deslizamento de terra que o enterrou e o protegeu de necrófagos. O espécime fazia parte de um grupo de vários ovos fossilizados que tinham sido postos de lado e esquecidos durante alguns anos. Os investigadores suspeitaram que estes fósseis poderiam conter dinossauros e, ao rasparem parte da concha, descobriram o Baby Yingliang.