Sismo de magnitude 7,4 atinge a Nova Zelândia

O abalo foi sentido às 10h55, hora local, 23h55 de sábado em Lisboa. Na sequência deste tremor, foi emitido um alerta de tsunami para aquela área do Anel de Fogo. Contamos-lhe aqui.

João Tomás João Tomás 17 Jun. 2019 - 18:42 UTC
O sismo não provocou danos significativos.

Um sismo de magnitude 7,4 na escala de Richter foi sentido na manhã de domingo, dia 16 de junho, perto das Ilhas Kermadec, território desabitado pertencente à Nova Zelândia. O epicentro situou-se, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), 928 quilómetros a Nordeste da cidade de Tauranga, na Ilha Norte, a uma profundidade aproximada de 34 quilómetros.

Aquando da emissão do alerta de tsunami, a Proteção Civil local alertou para "correntes extraordinariamente fortes e perigosas e ondas imprevisíveis" junto à costa, situação que "representa uma ameaça às atividades nas praias, nos portos, nos estuários, e para a navegação de pequenas embarcações".

Mais tarde, no mesmo dia, aquela área voltou a ser abalada por um sismo de magnitude 6,3 na escala de Richter. O epicentro localizou-se 93 quilómetros a Nordeste da Ilha L’Esperance Rock, Ilhas Kermadec, a cerca de 35 quilómetros de profundidade. Não houve registo de vitimas ou danos materiais. Apesar da ocorrência desta réplica, o alerta de tsunami acabou por ser cancelado pelos serviços de Proteção Civil local.

A localização geográfica das Ilhas Kermadec

Esta área do Oceano Pacífico, situada entre as Ilhas Fiji e a Nova Zelândia, insere-se no chamado Anel de Fogo do Pacífico. Caracteriza-se pela ocorrência frequente de eventos sísmicos de elevada magnitude, bem como pela ocorrência de eventos vulcânicos. O constante movimento das placas tectónicas favorece o surgimento destes eventos. A elevada atividade sísmica e vulcânica facilita a ocorrência de tsunamis, que possuem um potencial de destruição enorme.

As Ilhas Kermadec são território desabitado da Nova Zelândia, à exceção da Ilha de Raoul, que conta com instalações governamentais e uma estação de transmissão rádio. As instalações governamentais são a base de sete funcionários, que monitorizam os níveis das marés. Essa constante monitorização permitiu que o alerta de tsunami fosse retirado duas horas após os eventos.

Um sismo, também chamado terramoto em Portugal, ou terremoto no Brasil, é uma súbita libertação de tensão acumulada por rutura dos materiais na crosta terrestre. Estão geralmente associados a falhas geológicas, locais onde a crosta terrestre é mais fina, tornando mais fácil a libertação de tensão. O local, em profundidade, onde se inicia a rutura designa-se hipocentro, e o ponto à superfície na sua vertical denomina-se epicentro.



Publicidade