tempo.pt

Seca histórica da Califórnia diminui significativamente

Os rios atmosféricos que geraram chuvas torrenciais de frentes frias na Califórnia beneficiaram notavelmente o solo e os corpos de água, reduzindo a seca na área.

O Monitor de Seca dos Estados Unidos mostra uma grande redução das condições de seca graças às acumulações de chuva de 345 mm em São Francisco, 327 mm em Oakland e 307 m em Santa Barbara de 26 de dezembro a 10 de janeiro, que causaram inundações históricas, marés de tempestade, além de fortes nevões.

A seca foi reduzida passando de uma categoria excecional, que afligia o Estado há vários meses, para uma severa; condados como Imperial, Del Norte e Humboldt estão a uma categoria de distância de desaparecimento da seca. As grandes reservas de água aumentaram, nalguns casos em até 500% como no Lago Coyote e no Reservatório de Uvas.

Desde o início do fenómeno La Niña, a precipitação tem sido quase nula na metade ocidental do país, mas neste inverno de 2022-2023 a circulação tem sido mais semelhante à de El Niño com as chuvas torrenciais. O recente relatório do Centro de Previsão Climática indica que na primavera poderemos passar a uma fase Neutra e no verão-outono o El Niño poderá aparecer.

A previsão exige mais chuva nos próximos 7-10 dias, nalguns casos torrencial, o que poderia traduzir-se numa melhoria dos corpos de água e dos solos, pondo potencialmente fim à seca histórica. Por outro lado, se o El Niño se desenvolver, mais chuva virá a caminho.