NASA quer descobrir se há vida em Europa, uma das luas de Júpiter

O aparelho deverá estar pronto para ser lançado em 2025 rumo a Júpiter, maior planeta do sistema solar e tentará descobrir se há vida no oceano existente na lua Europa. Contamos-lhe os detalhes aqui.

Alfredo Graça Alfredo Graça 21 Ago. 2019 - 12:09 UTC
NASA vai lançar satélite em 2025 que irá averiguar se existe vida em Europa, uma das luas de Júpiter.

A agência espacial norte-americana NASA anunciou que está cada vez mais próxima de dar início à sua exploração a uma das 79 luas de Júpiter. A missão Europa Clipper, basear-se-á nas conquistas científicas levadas a cabo previamente pelas sondas Galileo e Cassini, encontrando-se agora na fase final do seu desenvolvimento. Depois será concretizada a construção do satélite que vai integrar a viagem espacial em 2025.

Apresentando uma dimensão menor do que a Lua terrestre, a Europa é há já algum tempo uma das melhores apostas da NASA no que concerne à existência de vida extraterrestre (fora do nosso planeta). Segundo a visão dos investigadores da NASA, parece existir um profundo oceano debaixo da crosta gelada deste satélite natural. Europa poderá estar então a revelar os três componentes requeridos para a existência de vida: água, elementos químicos e uma fonte de calor através do aquecimento de maré (fenómeno que se gera através das forças gravitacionais que lá se desenrolam).

De acordo com os investigadores responsáveis pela missão, o satélite da missão Europa Clipper fará uma série de investidas cuidadosas à lua de Júpiter, já que a enorme atmosfera magnética presente pode trazer consequências pejorativas para os dispositivos eletrónicos que a sonda transporta, podendo levar ao aborto da missão. Esta missão de exploração espacial levará consigo máquinas fotográficas, espectómetros (permitirão obter imagens de alta resolução da superfície do satélite natural) bem como um magnetrómetro para medir a força e a direção do campo magnético de Europa.

Embora a agência espacial norte-americana refira que a missão Europa Clipper vá iniciar a sua exploração em 2025, existe uma ínfima possibilidade da data de arranque ser mais precoce. Até lá, a homóloga da NASA no continente Europeu, a Agência Espacial Europeia, tem viagem agendada para Júpiter em 2022, onde a missão Juice - Jupiter Icy Moons Explorer - fará uma passagem por três dos satélites naturais deste planeta.

Características e curiosidades de Júpiter

Júpiter é o quinto planeta a contar do Sol e é sem dúvida o maior. Possui por larga margem o dobro da massa de todos os outros planetas juntos. Tem 318 vezes a massa da Terra. É o quarto objeto mais brilhante do céu, depois do Sol, da Lua e de Vénus. Conhecido desde tempos pré-históricos como uma estrela errante. Todavia, em 1610, quando Galileu direciona pela primeira vez um telescópio ao céu, consegue observar as 4 enormes luas de Júpiter: Io, Europa, Ganimedes e Calisto (agora conhecidas como as luas Galileanas) e regista os seus movimentos para a frente e para trás do planeta.

Tornou-se na primeira descoberta dum centro de movimento aparentemente não centrado na Terra e um grande passo a favor da teoria heliocêntrica do movimento dos planetas de Copérnico. O sincero apoio da teoria Coperniana dado por Galileu pô-lo em sarilhos com a Inquisição. Hoje em dia qualquer indivíduo pode repetir as observações de Galileu, usando binóculos ou um pequeno telescópio.

Publicidade