Dezembro de 2019, muito chuvoso e mais quente que o habitual

Dezembro de 2019 em Portugal continental classificou-se, do ponto de vista climatológico, como um mês quente em relação à temperatura do ar, e chuvoso em relação à precipitação. Contamos-lhe mais detalhes aqui.

Teresa Abrantes Teresa Abrantes 10 Jan. 2020 - 11:29 UTC
Chuva em dezembro
O passado mês de dezembro foi muito chuvoso.

Os dois últimos meses de 2019, novembro e dezembro, foram considerados meses chuvosos, contribuindo para o consequente desagravamento da seca.

Precipitação

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o valor médio da quantidade de precipitação em dezembro foi superior ao normal e corresponde a cerca de 127% do valor normal mensal. De referir que desde 2010, no mês de dezembro, não se verificavam valores acima do normal.

Foi nas regiões do Norte e Centro que se registaram valores de precipitação muito acima do valor médio. Os maiores valores registados ocorreram em Cabril (528 mm), Penhas Douradas (473 mm), Guarda (466 mm) e Covilhã (433 mm).

De acordo com o IPMA, na estação meteorológica da Guarda (início em 1999) em apenas 2 dias (16 e 19) o valor de precipitação ocorrido corresponde a 2 vezes o valor médio do mês, sendo de realçar o valor ocorrido no dia 16, 141.9 mm em 24 horas, o que corresponde ao extremo diário absoluto para esta estação (anterior valor máximo era de 98.2 mm a 27/2/2010).

Anomalias da precipitação meses dezembro
Anomalias da quantidade de precipitação no mês de dezembro em Portugal continental, em relação aos valores médios no período de 30 anos (1971-2000). Fonte: IPMA

No entanto, nas regiões do Sul os valores de precipitação foram inferiores ao normal, por exemplo, os 47.9 mm de precipitação ocorridos em Faro correspondem a cerca de 40% do normal (115.6 mm).

Temperatura

O IPMA estima que o valor médio da temperatura máxima do ar foi de 15.22 °C, 1.34 °C superior ao valor normal, sendo o terceiro valor mais alto desde 1931 (depois de 2015 e 2016). O valor médio da temperatura mínima do ar, 6.76 °C, foi superior ao normal em 0.71 °C. Valores de temperatura mínima superiores aos agora registados ocorreram em 20% dos anos, desde 1931. O valor médio da temperatura média do ar em Portugal continental no mês de dezembro foi de 10.99 °C, valor superior ao valor normal em 1.02 °C sendo o terceiro valor mais alto desde 2000. Os valores mais altos registados ocorreram em 2015 e 2000.

Os valores de temperatura média e máxima do ar estiveram quase sempre acima do valor normal, em particular a partir de dia 18, destacando-se os dias 24 e 25 onde a anomalia em relação ao valor normal foi superior a +4 °C. Nestes dias, algumas estações meteorológicas da região Sul ultrapassaram o anterior maior valor da temperatura máxima do ar para o mês de dezembro.

Durante o mês ocorreu uma grande variabilidade dos valores de temperatura mínima do ar. É de destacar os períodos de 3 a 7 e 27 a 31, com valores inferiores ao normal; e de 13 a 16 e 18 a 26 com valores muito superiores ao normal, sendo de destacar os dias 19 a 21 com desvios positivos acima de 6 °C.

Monitorização da Seca – Índice PDSI

No final de dezembro verificou-se um aumento dos valores de percentagem de água no solo, em relação ao final de novembro em todo o território.

As regiões do Norte e Centro apresentam valores iguais à capacidade de campo; a região Sul a sofrer um aumento significativo da percentagem de água no solo, no entanto, alguns locais do Baixo Alentejo e Algarve ainda apresentam valores inferiores a 40%.

Indíce de Seca Meteorológica IPMA
Comparação da distribuição espacial do índice de seca meteorológica (30 de novembro 2019, à esquerda; com 31 de dezembro 2019, à direita). Fonte: IPMA

De acordo com o índice meteorológico de seca PDSI, índice meteorológico de seca calculado pelo IPMA para monitorização da situação de seca, no final de dezembro, as regiões do Norte e Centro já não estão em situação de seca meteorológica, verificando-se até, classes de chuva severa e moderada em grande parte do território a norte do cabo Mondego. Na região Sul verificou-se um desagravamento significativo da situação de seca meteorológica, apesar de persistir ainda a seca severa no sotavento algarvio.

A distribuição percentual por classes do índice PDSI no território é a seguinte: 2.7% chuva severa, 31.8 % chuva moderada, 18.7 % chuva fraca, 9.5 % normal, 24.8 % seca fraca, 9.0 % seca moderada e 3.5 % seca severa.

Publicidade