O tempo na segunda quinzena de setembro

O mês de setembro até agora teve tempo quente, seco e estável com raros episódios de precipitação ou trovoada. Continuará assim? De acordo com as projeções do modelo ECMWF, o tempo vai mudar radicalmente! Confira a previsão!

Alfredo Graça Alfredo Graça 15 Set. 2019 - 22:11 UTC


Antecipa-se uma segunda metade do mês de setembro marcada pela instabilidade atmosférica com aguaceiros e trovoada.

Depois de uma primeira metade do mês bastante quente, estável e seca, existe elevada probabilidade do agravamento do estado de tempo já a partir da terceira semana do mês, com aguaceiros de fraca a moderada intensidade, atividade elétrica e ventania, destacando-se as regiões Norte e Centro, sobretudo áreas do interior português. Com base nas projeções sinóticas do modelo ECMWF, existem condições de circulação atmosférica e oceânicas que parecem estimular o aparecimento de um centro de altas pressões, altamente potente nas latitudes mais a norte, sobre o Atlântico Norte e no leste europeu.

Assim, à latitude de Portugal continental, o panorama meteorológico será influenciado pelo desenvolvimento do jet stream (correntes de jato) que induzem maior variabilidade atmosférica, tornando mais difícil a previsão a médio/longo prazo. O padrão do tempo na segunda quinzena de setembro vai-se desenhando como um período temporal mais quente do que o normal, mais abafado, carregado de humidade, remetendo para um setembro muito tropical. Prevêem-se alguns episódios de precipitação e trovoadas na região Norte e Centro do país, ora nas áreas do litoral, ora nas áreas do interior.

Chuva e trovoada até ao final do verão

Prevê-se para segunda-feira 16 uma elevada probabilidade de desenvolvimento de células elétricas ativas (precipitação acompanhada de trovoada nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco). Tudo derivado ainda da instabilidade da gota fria que veio de Espanha. Deverá chover de fraca a moderada intensidade e com pouca extensão. Esta situação alargar-se-á territorialmente na terça-feira 17, de forma mais pontual e localmente moderada, arrastando-se até mais localidades da região Centro.

No resto do país é pouco provável que se desenvolva precipitação, a única situação de maior destaque é o acentuar da nebulosidade e de nevoeiros. Portanto, de Leiria para sul não deverá haver instabilidade atmosférica. Aliás, no dia 17 espera-se mesmo céu limpo em Faro.

Entre os dias 18 e 21 a incerteza nos modelos aumenta, ainda que a maioria dos cenários revele uma DINA (Depressão Isolada em Níveis Altos) estacionária sobre a Península Ibérica, que evoluirá de Espanha rumo a Oeste, mantendo instabilidade e descarregando chuvas irregularmente repartidas, com destaque de novo para as regiões Norte e Centro, tanto litoral como interior. De momento, prevê-se que para dia 22 chova no país todo. Situação para acompanhar nas próximas atualizações dos modelos.

Níveis de precipitação e temperatura

Os valores de temperatura revelam anomalia positiva entre 1 ºC a 3 ºC, podendo ser de até 6 ºC em algumas localidades do Norte e do Centro, na terceira semana de setembro. Na quarta semana teremos novamente uma semana mais quente que o habitual, com anomalia positiva de 1 ºC a 3 ºC em todo o país.

Quanto aos níveis de precipitação, não há sinais que mostrem anomalias, pelo que deverão somar-se quantias normais de precipitação nas últimas duas semanas de setembro em Portugal continental. Convém sempre lembrar que a análise realizada às projeções do ECMWF não são realmente uma previsão, falamos antes de uma tendência devido à enorme incerteza associada.

Publicidade