O tempo na segunda quinzena de abril

No geral estas próximas duas semanas em Portugal continental vão caracterizar-se pela instabilidade. Mas teremos ainda alguns dias soalheiros e estáveis? Confira a previsão!

Alfredo Graça Alfredo Graça 16 Abr. 2019 - 17:47 UTC
O fim-de-semana de Páscoa deverá ser caracterizado por um tempo soalheiro, quente e estável em todo o país.

Após meses de fevereiro e março, históricos devido à secura, escassez de chuva e registo de temperaturas máximas elevadas, chegou abril com as suas águas mil. Apesar de ter chovido em quantidades razoáveis por todo o território, será que os volumes pluviométricos terão sido suficientes para atenuar os indíces de seca? Será que “abril águas mil” fez e fará jus à fama?

Apesar de nesta Semana Santa se prever alguma chuva, tão necessária e importante para os campos e culturas agrícolas, para as produções hortícolas e vitícolas, muitas pessoas poderão sentir-se injustiçadas por terem marcado férias nesta altura. No entanto, talvez olhem para os dias de férias de outra forma ao compreenderem que estas precipitações, sendo tão necessárias será muito melhor que chova agora, porque já restam poucas semanas para que tal possa acontecer com ritmo e abundância em doses satisfatórias.

A primeira metade do mês de abril revelou-se globalmente fresca, com temperaturas invernais em plena primavera revelando uma ‘espécie’ de inversão com os meses de fevereiro e março, especialmente no Norte do país em territórios tão diversos como Braga ou Guarda. Apesar de estarmos a pouco e pouco a caminho da estação do calor (verão), o que nos espera a segunda metade do mês?

As projeções meteorológicas a longo prazo antecipam um cenário bipartido, com um tempo algo chuvoso e nublado até à Páscoa (exceção do fim-de-semana que envolve os dias 20 e 21), uma ligeira instabilidade na quarta semana de abril, especialmente entre os dias 23 e 25 de abril, com precipitação associada, e depois uma provável melhoria do estado de tempo até ao final do mês, com subida das temperaturas, céu parcialmente nublado ou limpo e pouca precipitação. Cumpre com o esperado de um mês autenticamente primaveril, recheado de dinamismo atmosférico e de uma enorme volatilidade meteorológica.

Instabilidade do tempo começa a assumir forma a partir do dia 22, estendendo-se à partida até dia 25. Prepare o guarda-chuva!

A instabilidade começa a ganhar terreno na Pascoela (segunda-feira 22), estendendo-se previsivelmente até dia 25 onde as condições do tempo vão degradando progressivamente. Possivelmente, devido ao surgimento de uma perturbação frontal e/ou depressão, que formará uma ou outra frente fria que deverá vir desde o Atlântico Norte, contribuindo para a descida bastante abrupta das temperaturas.

Depois da chegada da instabilidade, ela permanecerá pelo menos até dia 25 em território nacional. Temperaturas máximas e mínimas mais baixas, formação de geadas, acentuado arrefecimento noturno e alguns aguaceiros de fraca a moderada intensidade estão previstos. Um cenário para ir acompanhando.

Melhoria do tempo nos últimos dias do mês

Uma melhoria começa a desenhar-se por volta do dia 27, ganhando terreno para a criação de condições meteorológicas associadas à estabilidade, a um tempo soalheiro e agradável até ao dia 30. Um fluxo de altas pressões deverá contribuir para essa realidade, traduzindo-se num incremento das temperaturas em todo o país, com o senhor Sol de volta a Portugal em grande forma! É no entanto, com cautela, que projetamos esta previsão... Será um cenário a confirmar até lá.

Deverá ser portanto um mês de abril em geral húmido, relativamente fresco embora com alguns dias mais solarengos e até estivais, caracterizado pela entrada de várias frentes frias com linhas de instabilidade atmosférica associadas, sendo vários os dias de nevoeiro e vento ou estáveis e quentes. Um mês, por isso, autenticamente primaveril!

Publicidade