A tempestade Cecília estará connosco no fim de semana?

Muitas pessoas questionam se poderão sair para o ar livre este fim de semana depois de alguns dias em que a instabilidade atmosférica não deu tréguas, especialmente agora com a tempestade Cecília. Tudo indica que serão dias muito variáveis. Contamos-lhe aqui onde vai chover mais!

Alfredo Graça Alfredo Graça 22 Nov. 2019 - 22:38 UTC
Fim de semana de tempo muito variável em grande parte do país, com chuvas, gelo, vento forte e períodos de sol. Armamar, Douro. Autor: Ricardo Paiva.

Novembro tem sido muito chuvoso e frio em Portugal continental. Depois de um final de outubro com temperaturas estivais, o tempo invernal instalou-se este mês, e desde então não tem baixado a guarda. As baixas temperaturas, os nevões em vários pontos do Norte e do Centro, o vento e a agitação marítima têm sido protagonistas insaciáveis do tempo.

No entanto, nos últimos dias as previsões traçadas pelo modelo ECMWF indica uma mudança a médio e longo prazo, destacando-se uma situação sinótica de alguma estabilidade, para o início de dezembro. Há uns dias atrás, esse cenário não era tão fiável assim. Assim, nesta altura do ano estabelecer uma prognóstico que supere um período de 4 ou 5 dias torna-se demasiado arriscado.

O vento vai soprar com muita força no sábado

A curto prazo vamos continuar sem alterações significativas. Este fim de semana prevê-se tempo muito variável em Portugal continental, com chuvadas ainda conectadas à tempestade Cecília, sol a espreitar ocasionalmente e vento. O elemento meteorológico com maior destaque neste fim de semana será o vento. Sábado será o dia mais complicado, com ‘restos’ da tempestade Cecília ainda em circulação pelo Norte e Centro de Portugal. Afetará sobretudo as regiões do Minho, Douro Litoral e Alto Douro, Trás-os-Montes e algumas localidades do Centro. Até às 18h de sábado teremos tempo adverso, marcado sobretudo pelo vento moderado a forte de Noroeste e chuva fraca.

À medida que forem passando as horas, a instabilidade dissipar-se-á e boa parte das regiões do Centro e do Sul terá somente céu parcialmente nublado e sol a surgir a espaços no Alentejo e no Algarve. Até às 06h da manhã de sábado, 23 de novembro, estão ativos os avisos amarelos para neve ou gelo nos distritos da Guarda e Castelo Branco, recomendando-se máxima precaução na condução rodoviária neste período cronológico.

O principal protagonista da meteorologia amanhã será o vento, com rajadas até 90 km/h em boa parte do território nacional, abarcando localidades de norte a sul do país. O vento poderá chegar aos 110 km/h nas terras altas, incrementando a sensação de frio. Nas últimas horas de amanhã, prevê-se melhoria do estado do tempo, que deverá estabilizar ligeiramente.

No domingo a chuva intensifica

No domingo a nebulosidade vai acentuar-se. Ao início da tarde, espera-se que uma nova frente atlântica atravesse o noroeste peninsular, deixando acumulados de precipitação localmente fortes e persistentes no Minho e no distrito do Porto, cobrindo o resto do país com chuva fraca que alternará com bons períodos de sol e nuvens. As temperaturas diurnas vão registar um ligeiro aumento das máximas e as temperaturas mínimas vão baixar, devido à acalmia do vento. O nevoeiro poderá instalar-se em vales junto dos grandes cursos de água, sobretudo no interior. Os termómetros vão registar máxima de 5 ºC no distrito da Guarda, de 12 ºC no do Porto, de 14 ºC no de Lisboa, de 11 ºC no de Portalegre, de 13 ºC no de Beja e de 16 ºC no de Faro.

Depois do fim de semana, não se prevêem grandes mudanças. As perturbações frontais decorrentes da circulação de depressões vão continuar a surgir, sobretudo no norte de Portugal continental e com especial impacto a nível geográfico na região do Minho. A longo prazo existe alguma incerteza, sendo que a maioria aponta para alguma estabilidade no início de dezembro. Até lá, é tempo de empunhar o guarda-chuva e servir-se das luvas e dos casacos de chuva.

Publicidade