StoreWindows10

Inverno gélido: como lidar com o frio?

Saiba o que é uma vaga de frio, tão típica do inverno e descubra as suas causas e consequências. Adote as medidas preventivas sugeridas e proteja-se muito bem do frio. 

Alfredo Graça Alfredo Graça 09 Fev. 2018 - 08:42 UTC
O frio pode ter impactos negativos na saúde. Agasalhe-se bem!

O frio intenso que se tem feito sentir este mês, com vários distritos portugueses a atingirem temperaturas negativas durante vários dias consecutivos, não é razão para alarmismos. Afinal, estamos no inverno e o frio, associado a baixas temperaturas e a outros fatores meteorológicos, é a sua principal característica. As vagas de frio são por isso mesmo processos comuns nesta altura do ano. Ainda assim, saiba como adotar cuidados extra em casa e na rua. Sendo este um processo previsível, seja prudente e reforce o frigorífico com alimentos e líquidos que ajudem a proteger o seu organismo.

Uma vaga de frio acontece quando uma massa de ar frio e seco se desenvolve sobre uma área continental. Denomina-se vaga de frio quando durante pelo menos seis dias consecutivos, a temperatura mínima do ar é inferior em 5 ºC ao valor médio das temperaturas mínimas diárias no período de referência. Nestes processos meteorológicos dão-se reduções significativas, às vezes bastante bruscas, das temperaturas diárias fazendo os termómetros registar valores abaixo dos 0 ºC. A estas ocorrências estão quase sempre associados os ventos, que sendo moderados ou fortes, ampliam os efeitos do frio. Em Portugal, estas situações são originadas pelo posicionamento do anticiclone dos Açores próximo da Península Ibérica ou de um anticiclone junto à Europa do Norte.

As consequências duma vaga de frio podem ser devastadoras se não forem tomados os cuidados necessários. Podem ser a causa de morte por hipotermia, sobretudo em grupos de pessoas mais vulneráveis, como crianças e idosos. Por isto mesmo, a Direção Geral da Saúde alerta para as 

Mudanças do comportamento social, com maior tendência para concentração de pessoas em locais fechados, o que pode contribuir para a propagação de algumas doenças infeciosas. 

Esta entidade consciencializa também para o risco elevado de aparecimento de doenças como a gripe, pneumonia ou bronquite ou agravamento de doenças crónicas de carácter respiratório ou cardíaco.

Os impactos de uma vaga de frio prolongam-se por mais setores da sociedade, tais como o agrícola, o dos transportes, que ao ser afetado prejudica a circulação de pessoas e mercadorias e o da energia, que provoca gastos excessivos devido ao uso intenso dos sistemas de aquecimento. O frio pode também causar acidentes rodoviários, quedas derivadas do gelo e incêndios devido ao uso incorreto ou mau funcionamento de lareiras ou de outros sistemas de aquecimento.

Para se proteger do frio e de todos os seus potenciais impactos, adote as seguintes medidas:

  • Proteger nariz e boca evitando a entrada de ar frio nos pulmões.
  • Uso de roupa própria para o Inverno (luvas, gorro, cachecol e calçado quente).
  • Evite a exposição prolongada ao frio em espaços exteriores e o esforço físico.
  • Se for conduzir adote uma postura defensiva devido à possibilidade de água e gelo no pavimento.
  • Se tiver lareira em casa não deixe que o monóxido de carbono se acumule pelo perigo de intoxicação, abrindo uma janela ocasionalmente para que haja renovação do ar.
Publicidade