tempo.pt

Crianças: o segredo da saúde está na natureza!

Nos dias que correm, as notícias sobre novas doenças e possíveis pandemias invadem as nossas casas através da comunicação social. Do ponto de vista das crianças e dos jovens, uma possível resposta pode passar por uma nova ligação à natureza. Fique a saber mais sobre este assunto, connosco!

Crianças na natureza.
As crianças a explorar a natureza é algo cada vez menos comum, mas com vantagens e benefícios inegáveis para o seu desenvolvimento, a vários níveis.

Os médicos pediatras estão cada vez mais certos de que é necessário voltar a criar uma ligação entre as crianças e a natureza, principalmente depois de dois anos habituados a confinamentos consecutivos. A natureza aqui referida, deve apresentar alguma qualidade, ou seja, baixos índices de poluição, pois também se sabe que há um número crescente de doenças infantis associadas à poluição.

O contacto entre as crianças, os jovens e a natureza pode ser um estímulo muito importante no seu desenvolvimento neurocomportamental, imunológico e sexual. Na natureza, os doentes, principalmente crónicos, têm a possibilidade de se reabilitar, de recuperar parte do seu bem-estar, ou mesmo de se redescobrirem. Assim, esta faixa etária, e principalmente os que residem em áreas urbanas, devem passar mais tempo, de forma mais frequente, juntos de áreas verdes.

A poluição atmosférica nas cidades, a falta de saneamento em certas áreas, bem como o consumo de água contaminada (...) pode ser responsável por malformações intrauterinas (...)

A exposição ambiental a que uma criança está sujeita, afeta o seu desenvolvimento desde o período da gestação. Contudo, a pouca exposição à natureza, ou a muita exposição a características urbanas como a poluição, ainda tem consequências difíceis de avaliar. Registam-se alterações muito amplas nas crianças, que dependendo do seu nível de exposição podem afetar o seu desenvolvimento físico, intelectual, emocional e social.

A prescrição médica do medicamento “natureza” poderá ajudar a minimizar o número de jovens com problemas respiratórios, por exemplo. Em Espanha, está a iniciar-se a implementação de uma política de saúde que encaminha claramente os jovens para a natureza: “uma criança, uma árvore, uma maternidade, uma floresta”. Por cada criança nascida no país vizinho, é pedido que se plante uma árvore.

Papel da Natureza na luta contra novas pandemias

É sabido que a pandemia de COVID-19, que assola o mundo há mais de dois anos, teve como origem a falta de respeito que o ser humano tem por outros animais e pela natureza. Quanto menos respeito tivermos, mais expostos vamos estar a novas doenças, que potencialmente se podem tornar em novas pandemias.

Outras formas de ganharmos com a natureza e também de a natureza ganhar com o ser humano, passarão sempre pela construção de mais áreas verdes nas cidades, pela utilização de meios de transporte menos poluentes e pela prática de exercício físico nos espaços verdes. O acréscimo de áreas verdes nas cidades proporciona um conjunto de vantagens, sendo que uma dela é a melhoria da qualidade de vida, do ar respirável, diminuindo o risco de contrair doenças.

A prática de exercício físico, mesmo que seja só uma caminhada, vai traduzir-se por um lado em benefícios para a saúde e por outro, em menos emissões de gases poluentes. Deixar o carro com motor a combustão em casa, pelo menos uma vez por semana, pode ser uma ajuda na melhoria da saúde física e mental da população.

A poluição atmosférica nas cidades, a falta de saneamento em certas áreas, bem como o consumo de água contaminada (que por vezes corre na rede pública de abastecimento) pode ser responsável por malformações intrauterinas, representando impactes diretos no bebé, na criança e à medida que vai envelhecendo.