StoreWindows10

Sinabung: A erupção que deu a volta ao mundo

O vulcão Sinabung da Ilha da Sumatra na Indonésia voltou a despertar. Saiba porque é que na Ilha, situada sobre o Anel de Fogo do Pacífico, este fenómeno natural é tão frequente. 

Alfredo Graça Alfredo Graça 21 Fev. 2018 - 18:14 UTC
Erupção vulcânica no Monte Sinabung, Sumatra, Indonésia.

Vulcões são processos naturais fabulosos e extremamente perigosos. A erupção vulcânica que ocorreu há dois dias atrás na Indonésia deve-se à localização geográfica, sobre parte do Anel de Fogo do Pacífico, que por constituir uma área de grande instabilidade tectónica pode provocar estes acontecimentos naturais, além de sismos e tsunamis.

O Anel de Fogo do Pacífico é uma área de elevada instabilidade geológica localizada no Oceano Pacífico que abrange a parte ocidental das Américas, a parte oriental da Ásia e a Oceânia. Possui 40 mil km de extensão e tem a forma de um semicírculo. É constituído por cordilheiras de montanhas, fossas oceânicas e arcos de ilhas vulcânicas.

Esta área instável é a grande responsável pela maioria dos terramotos que ocorrem à superfície da Terra devido ao atrito e ao movimento das várias placas tectónicas aí existentes. Enquanto que nuns sítios as placas se distanciam, noutros sítios elas colidem umas com as outras, provocando profundas transformações no relevo terrestre que causam abalos como os sismos e os vulcões.

Acreditamos que a erupção vulcânica que aqui ocorreu é do tipo peleano. A sua atividade vulcânica de carácter explosivo, com lavas muito viscosas e violentas explosões a assumir a forma de nuvens ardentes levam-nos a essa possível conclusão. Neste local vulcanicamente ativo, o Monte Sinabung, avistou-se uma coluna enorme de cinzas e fumo até 5 km de altitude.

No vídeo: vê-se uma nuvem ardente enorme a ser expelida na Sumatra, Indonésia.

Mas o que são vulcões? Tratam-se de estruturas geológicas que se formam devido a uma abertura na crosta terrestre. Expelem magma, cinzas, gases e poeiras, entre outro tipo de materiais. Geralmente, formam-se no limite instável que existe entre duas placas tectónicas.

Existem vários tipos de vulcanismo que para serem identificados dependem em grande medida do carácter que o material expelido tem. Há três tipos de atividade que um vulcão pode apresentar – a efusiva – lava muito fluída que constitui autênticas correntes de lava; a intermédia – lava bastante fluída que alterna períodos explosivos com períodos muito explosivos bem como projeção de piroclastos, e por último, a explosiva – a lava é muito viscosa, não se formam escoadas e libertam-se enormes explosões gasosas, as chamadas nuvens ardentes.

O tipo de erupção de um vulcão relaciona-se com três fatores essenciais: a composição da lava (se é muito silicosa ou pouco), a temperatura (entre os 800ºC e os 1200ºC) e a quantidade de gases dissolvidos.

Por isso, a composição da lava e a temperatura dizem-nos muito sobre um vulcão uma vez que juntos, estes elementos determinam a viscosidade da lava. Assim sabemos que aos magmas básicos, com menor percentagem de sílica, associamos uma baixa viscosidade que forma lava fluída. Pelo contrário, aos magmas ácidos, com maior percentagem de sílica, associamos uma elevada viscosidade em que os fluidos movimentam-se mais lentamente originando uma lava viscosa.

Publicidade