tempo.pt

Maio 2022: o mês em que as temperaturas bateram recordes em Espanha

Muito se tem falado das ondas de calor que afetam a Península Ibérica, especialmente durante o verão, mas o corrente mês está a bater recordes de temperatura com várias décadas, indiciando problemas futuros ao nível do abastecimento de água e não só. Fique a saber mais sobre este assunto, aqui!

fontes de água; calor
Fontes de água, um "refúgio" para a população em dias de temperaturas muito elevadas.

A semana passada foi especialmente relevante do ponto de vista meteorológico em Espanha, devido às altas temperaturas que se fizeram sentir no seu território continental. Para que se tenha uma ideia, o passado sábado, 21 de maio, foi um dia em que se superou o recorde de temperatura máxima relativa a este mês, que vigorava desde o ano de 1950.

Em plena primavera no Hemisfério Norte, os termómetros ultrapassaram a fasquia dos 40 °C em algumas regiões do país vizinho, situação potenciada pela passagem de uma massa de ar quente e seco com origem no Norte de África. No passado domingo, dia 22, foram emitidos avisos relacionados com as temperaturas anormalmente elevadas, para 17 regiões espanholas. Salienta-se que o verão ainda está para vir!

Os estados de tempo que até agora estavam associados ao Norte de África são cada vez mais comuns no Sul da Europa (...)

Na comunidade autónoma da Andaluzia, mais precisamente em Andújar, os termómetros registaram 42,3 °C no dia 21. Já na cidade de Jaén, parte integrante da mesma comunidade, nesse mesmo dia as temperaturas chegaram aos 40,3 °C. Estes valores estão cerca de 16 °C acima do valor médio de temperatura expectável para esta altura do ano, sendo que o anterior recorde foi batido por cerca de 2 °C.

A cidade de Segóvia, na comunidade autónoma de Castela e Leão, a Noroeste de Madrid, experimentou pela primeira vez, desde que há registos, uma noite tropical, já que os termómetros não desceram abaixo dos 20 °C durante a noite e madrugada. Esta onda de calor, incomum em meados de maio, é reveladora quanto aos efeitos que as alterações climáticas podem ter no futuro.

Como se pode mitigar uma situação deste género?

Uma onda de calor pode ter implicações graves a curto, médio ou longo prazo, a vários níveis, sendo que existem vários agentes que são responsáveis por tomar medidas que amenizem os seus impactes. Do ponto de vista do Estado, o governo espanhol tal como o instituto de meteorologia nacional (AEMET) ativaram um plano que passa pela informação e aconselhamento da população.

Toda a população deve fazer os possíveis por se manter hidratada e por usar roupas leves e claras (que refletem mais quantidade de radiação solar). Os cuidados com o estado de saúde devem ser redobrados, especialmente nos grupos de risco como as crianças, os idosos, as mulheres grávidas e os doentes crónicos. As ondas de calor, tal como as vagas de frio, são eventos que devem ser levados a sério, pois há um real aumento da probabilidade de ocorrência de vítimas mortais.

Os vários agentes de proteção civil, nomeadamente as autoridades nacionais, regionais e locais, bem como as empresas dos mais variados ramos de atividade e a população devem estar cientes da gravidade dos impactes das alterações climáticas. Os estados do tempo que até agora estavam associados ao Norte de África são cada vez mais comuns no Sul da Europa, sendo que segundo alguns estudos, esta situação progressivamente mais frequente.

Para além das consequências já abordadas, os impactes a médio e longo prazo são sérios: a crescente escassez de água pode afetar o abastecimento da população bem como a rega dos campos. Assim, poderemos assistir a uma mudança dos padrões agrícolas, que poderá levar a uma escassez de alimentos… E isto é só o início! Cabe a cada um de nós reagir.