tempo.pt

2022 foi o ano mais quente em Portugal desde 1931

O ano de 2022 em Portugal continental classificou-se, do ponto de vista climatológico, como um ano extremamente quente em relação à temperatura do ar e seco em relação à precipitação.

Calor e seca
2022 foi um ano extremamente quente e seco.

Em 2022, à semelhança do que aconteceu na Europa, a temperatura média do ar em Portugal continental foi superior ao valor médio de 30 anos.

Temperatura

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IPMA, em Portugal continental, no ano de 2022, o valor médio da temperatura média do ar, 16,64 °C, foi 1,38 °C acima do valor normal 1971-2000, sendo o mais alto desde 1931.

Anomalias da temperatura do ar
Anomalias da temperatura média anual, em Portugal continental, em relação aos valores médios no período 1971-2000. Fonte: IPMA

Desde 1931, dos 30 anos mais quentes em Portugal continental, 22 ocorreram depois de 1990 e 15 depois de 2000.

O valor médio da temperatura máxima do ar, 22,32 °C, foi o 2º valor mais alto desde 1931 com uma anomalia de +1.82 °C em relação ao valor normal. O ano com o valor médio da temperatura máxima do ar mais elevado foi 2017, com 22,82 °C. Os últimos 14 anos registaram sempre anomalias positivas.

O ano 2022 foi classificado como o mais quente dos últimos 92 anos em Portugal continental.

O valor médio da temperatura mínima do ar, 10,96 °C, foi o 4º valor mais alto desde 1931 com uma anomalia de +0,94 °C, em relação ao valor normal. O ano com o valor médio da temperatura mínima do ar mais alto foi 1997, com 11,26 °C.

O menor valor da temperatura mínima do ar foi -7,5 °C, registado em Mirandela no dia 30 de janeiro e o maior valor da temperatura máxima, 47,0 °C, ocorreu em Pinhão no dia 14 de julho.

Ao longo do ano foram ultrapassados alguns recordes de temperatura máxima e mínima. Em julho foram registados extremos absolutos da temperatura máxima em 40 estações e em 21 estações as temperaturas mínimas atingiram recordes máximos.

Precipitação

Ainda de acordo com o IPMA, no ano de 2022 o valor médio da precipitação total anual, 797,6 mm, foi inferior ao valor normal 1971-2000 com uma anomalia de -84,5 mm. Valores da precipitação superiores aos registados em 2022 ocorreram em 35% dos anos desde 1931.

Anomalias da precipitação
Anomalias da quantidade de precipitação anual em Portugal continental, em relação ao valor médio 1971-2000.

Durante o ano 2022, os meses de março, setembro, outubro, novembro e dezembro registaram valores de precipitação superiores ao normal, sendo de destacar o mês de dezembro com uma anomalia de +105 mm em relação ao valor normal 1971-2000. Em especial no mês de dezembro registaram-se episódios de precipitação intensa.

O maior valor da quantidade de precipitação em 24 horas, 110,6 mm, registou-se na estação de Lisboa/Gago Coutinho no dia 13 de dezembro. Em dezembro registaram-se valores recordes de precipitação em 4 estações.

Nos restantes meses do ano a precipitação foi sempre inferior ao valor normal, com anomalias negativas. Os maiores desvios em relação à média ocorreram nos meses de janeiro e fevereiro, com anomalias de -110 mm e -90mm, respetivamente.

Seca Meteorológica

Portugal continental esteve em seca meteorológica durante os primeiros 9 meses do ano. De referir que 80% do território esteve em seca severa e extrema, em fevereiro e entre maio e agosto.