tempo.pt

Agosto começa com nevoeiro e avisos vermelhos por calor extremo em Portugal

A primeira semana de agosto continuará com calor tórrido, sobretudo a norte do Mondego, onde se destacam os avisos vermelhos pelo risco de temperaturas máximas extremas. Haverá mudanças no estado do tempo a médio prazo em Portugal continental? Consulte a previsão!

tempo quente; calor; portugal
Os primeiros dias de agosto nalgumas regiões de Portugal continental serão marcados pelo calor extremo. Mantenha-se constantemente hidratado e procure locais com sombra.

Agosto arrancou sem grandes novidades e, nesta primeira metade da semana, espera-se novamente o registo de valores térmicos anormalmente elevados para a época em boa parte de Portugal continental, com temperaturas de até 42 ºC no interior, em regiões como o Nordeste Transmontano, a Beira Alta e a Beira Baixa e o Baixo Alentejo, e em locais de vales como os do Douro e o do Guadiana.

Tampouco é de menosprezar as noites tropicais – quando a mínima é igual ou superior a 20 ºC durante o período noturno-, e que ocorrerão em praticamente todos os distritos, exclusivamente pertencentes ao interior do nosso país, especialmente segunda e terça-feira (dia 2). Este novo episódio de calor intenso (analisado pelo IPMA como uma onda de calor, mas apenas para as regiões do interior de Portugal continental) coincide com o auge da canícula, estatisticamente o período mais quente e seco do ano em todo o país.

Nevoeiro marítimo e onda de calor regional

Esta semana, para além do calor tórrido presente no interior de Portugal continental, iremos observar, praticamente todas as manhãs, à concentração algo persistente de nevoeiros marítimos e neblina na costa oeste portuguesa. Mas afinal, a que se deve isto?

O nevoeiro que aparece no litoral de Portugal continental durante a estação estival – exceto no Sotavento Algarvio – é conhecido como nevoeiro de advecção. Este tipo de nevoeiro é marítimo, e é mais frequente e característico do verão português. A sua origem relaciona-se com uma massa de ar marítima húmida e estável, que arrefece abaixo do ponto de condensação próximo da superfície devido à presença de águas mais frias.

Estas águas apresentam uma temperatura mais fria porque a mesma está associada a um fenómeno oceânico, também este bastante habitual no verão em Portugal continental: o upwelling costeiro. Esta é a forma mais longa de duração de nevoeiro, e pode persistir por vários dias ou semanas sob determinadas circunstâncias meteorológicas.

E é exatamente isto que se prevê para toda esta semana na costa portuguesa: vários dias de denso nevoeiro matinal, que poderá inclusive prolongar-se até ao início da tarde. Existem mais tipos de nevoeiro, como o de radiação e o orográfico, entre outros.

Avisos Vermelhos e Laranjas por calor extremo, sobretudo a norte do Mondego

De facto, do ponto de vista climatológico, estamos a viver dias nos quais faz muito calor, mais do que o habitual no início de agosto, entre outros aspetos, porque estamos na canícula. Outros fatores atmosféricos que desencadearão o calor intenso que se prolongará por estes primeiros dias de agosto em partes do nosso país, sobretudo no interior do Norte, do Centro e em partes do Alentejo, são o efeito exercido pelo anticiclone açoriano – que se desdobra em crista até às Ilhas Britânicas – e a depressão térmica posicionada sobre o interior de Espanha.

As temperaturas máximas foram muito quentes hoje, e continuarão a sê-lo esta terça-feira, destacando-se os avisos vermelhos nos distritos de Braga, Vila Real e Bragança. Nestas áreas prevê-se temperatura máxima do ar acima dos 35 ºC e até 42 ºC!

mapa temperatura; ecmwf; portugal
Prevê-se que o primeiro fim de semana de agosto registe um estado do tempo consideravelmente mais fresco, em relação ao que temos vivido ultimamente em Portugal continental.

O aviso laranja por risco significativo de temperatura máxima extrema continuará em vigor em vários distritos de Portugal continental, em vários dos dias desta primeira semana de agosto – pelo menos até quarta-feira (3) - tais como Vila Real, Viseu, Bragança e Guarda, originando aquilo que, de acordo com o IPMA, poderá ser definido como uma onda de calor ‘regional’ (pelo facto das temperaturas mais altas que o normal se cingirem a apenas algumas regiões do interior do território continental).

No entanto, a partir desta quarta-feira, dia 3, será notória uma substancial descida da temperatura, especialmente das mínimas, e sobretudo na faixa costeira ocidental que, além disso, registará pela madrugada e manhã os já referidos nevoeiros marítimos. Por exemplo, para a próxima sexta-feira, 5 de agosto, prevê-se, temperatura máxima de 22 ºC para as cidades de Viana do Castelo e Figueira da Foz, de 24 ºC para a do Porto, de 26 ºC para a de Aveiro e de 29 ºC para a de Lisboa.

Primeiro fim de semana de agosto: consideravelmente mais fresco?

Entre quinta-feira e domingo assistiremos a uma descida gradual da temperatura no nosso país, mas os termómetros vão assinalar valores consideravelmente mais amenos e frescos – sobretudo – no sábado (6) e domingo (7), próximo fim de semana. Além das manhãs repletas de nevoeiro ou neblina matinal na faixa costeira ocidental, o céu com períodos nublados poderá arrastar-se pelas tardes inteiras.

No entanto, prevê-se que o panorama de ambiente ameno a quente prolifere pelo país, antecipando-se um estado do tempo muito estável e com céu, em geral, limpo.