Tipos de neve: sabe distingui-los?

Num incomum mês de abril, a atmosfera decidiu presentear-nos com belos e intensos acumulados de neve em vários pontos de Portugal, sobretudo no interior Norte. Convidamo-lo a conhecer os vários tipos de neve!

Alfredo Graça Alfredo Graça 07 Abr. 2019 - 15:06 UTC
Neve captada em União de Freguesias de Moimenta e Montouto, Vinhais, Bragança, Portugal. Foto: Fernando Graça

Nestes últimos dias fomos surpreendidos pelo tempo invernoso em plena primavera. Em seguida apresentar-lhe-emos o processo de formação de neve bem como diversos tipos de neve. A neve é uma processo meteorológico que consiste na precipitação de flocos formados por cristais de gelo. Este fenómeno pode apresentar intensidade ligeira, moderada ou forte, sendo designado de nevão na eventualidade de ocorrer uma tempestade de neve; ou nevisco, quando neva em pouca quantidade. Por norma, a queda de neve em proporções ditas “normais” leva simplesmente a designação de nevada.

Cada floco de neve contém água congelada sob uma forma cristalina que, devido à sua grande capacidade de refletir a luz, revela uma aparência translúcida e cor branca. A precipitação destes flocos acontece frequentemente em áreas e regiões contidas nas médias e altas latitudes do nosso planeta, dado que se localizam em zonas de clima frio ou temperado. Em pontos mais elevados do planeta, como em montanhas e serras, em formações rochosas no geral também são registados casos de queda de neve.

Tipos de neve

Flocos de neve: Consistem na forma mais conhecida e tradicional de precipitação de neve. É o cristal de gelo em forma de floco, de formato hexagonal e com a aparência de uma pequena estrela.

Neve granular ou grãos de neve: precipitação na forma de partículas muito pequenas e opacas de gelo. Geralmente apresentam um diâmetro inferior a 1 milímetro. Não se quebram ao atingir uma superfície dura. Normalmente, a neve granular precipita em pequena quantidade e provém de nuvens estratificadas ou do nevoeiro.

Neve artificial: Trata-se de um tipo de neve manufaturada pelo Homem. Pode ser concebida artificialmente através do uso de aparelhos conhecidos como canhões de neve. Consistem em equipamentos que sopram ar abaixo da temperatura de congelação sobre uma certa quantidade de água, provocando um congelamento instantâneo. Este equipamento é bastante utilizado para colmatar as necessidades de neve em estações de Ski, que podem existir quando a neve que cai é inferior ao esperado, garantindo desta forma que as pistas possam ser usadas, evitando prejuízos financeiros nas estâncias turísticas.

Neve em pó: Este tipo de neve consiste num nevão intenso, de neve recém-caída e fresca. É uma neve seca, sem vestígios de água no seu interior. É muito delgada, e sem dúvida alguma, a favorita dos esquiadores dado que lhes permite deslizarem sobre ela com a rapidez desejada. Costuma ser encontrada mais facilmente nas cotas altas, onde as temperaturas são mais reduzidas e a neve permanece praticamente virgem (untouched snow).

Slush ou neve primavera: Este tipo de neve acontece quando a neve principia a derreter. É uma condição que ocorre normalmente no final da temporada da neve, quando transitamos do inverno para a primavera. Há momentos em que a neve derrete em proporções de tal forma enormes que chega a gerar poças bastante extensas no meio das pistas de ski. Quando cai a noite, as temperaturas descem, a neve recongela e o processo inicia novamente na manhã seguinte.

Aguaneve: Trata-se de neve parcialmente fundida que cai no solo apresentando componentes cristalinos. Geralmente é transparente, não sendo literalmente branca como a neve no seu aspeto mais comum, sendo que poderá conter alguns vestígios de neve no seu interior.

Publicidade