Setembro de 2019 foi um mês quente e seco

O passado mês de setembro classificou-se como quente em relação à temperatura do ar e seco em relação à precipitação. Confira connosco a análise climatológica de setembro de 2019 em Portugal continental.

Teresa Abrantes Teresa Abrantes 06 Out. 2019 - 11:52 UTC
Setembro foi um mês quente e seco.

Apesar de, em média, setembro se ter classificado de quente, a segunda quinzena do mês foi diferente da primeira. Com base na análise climatológica elaborada pelo IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera) na primeira quinzena do mês de setembro, considerando a média para Portugal continental, os valores de temperatura do ar foram, em regra, superiores ao valor médio mensal.

Temperatura

De destacar os valores de temperatura máxima no período de 1 a 8 que estiveram muito acima do normal, com Alvega a atingir 40.7 ºC no dia 4. Neste período verificou-se a ocorrência de uma onda de calor, com início no final de agosto, afetando principalmente a região sul do país. No entanto, na segunda quinzena, os valores registados foram em geral próximos ou inferiores ao valor normal.

Durante o mês de setembro, o valor médio da temperatura média do ar em Portugal continental, 20.95 ºC, foi superior ao valor normal em 0.72 ºC. Valores da temperatura média superiores, ao agora registado, ocorreram em cerca de 30% dos anos desde 1931.

Anomalias da temperatura média do ar no mês de setembro, em Portugal continental, em relação aos valores médios no período 1971-2000.

No que diz respeito ao valor médio da temperatura máxima do ar, este foi de 28.00 ºC, e foi superior ao valor normal em 1.71 ºC. Este valor foi o 6º valor mais alto desde 2000. Desde 1931, valores da temperatura máxima superiores, ao agora registado, ocorreram em cerca de 20% dos anos.

A situação foi diferente para o valor médio da temperatura mínima do ar, 13.90 ºC, visto que foi inferior ao valor normal em 0.26 ºC. A temperatura mínima mais baixa ocorreu em Montalegre (3.0 ºC) dia 28.

Precipitação

Na primeira quinzena de setembro não se registou precipitação no continente. Durante a segunda quinzena registou-se precipitação só durante 3 dias: 16, 17 e 21. O maior valor da quantidade de precipitação registada em 24 horas ocorreu na Covilhã (38.3 mm) no dia 21. Ainda de acordo com o IPMA, a precipitação registada em setembro esteve abaixo dos valores normais para este mês.

Anomalias da quantidade de precipitação, no mês de setembro, em Portugal continental, em relação aos valores médios no período 1971-2000.

O valor médio da quantidade de precipitação em setembro (19.8 mm) foi cerca de 47% do valor normal mensal. Valores de precipitação inferiores aos registados ocorreram em cerca de 30% dos anos desde 1931.

Monitorização da Seca – Índice PDSI

Em relação ao final do mês de agosto, só na região do Minho é que se verificou um ligeiro aumento dos valores de percentagem de água no solo. De acordo com o índice PDSI, no final de setembro, mantém-se a situação de seca meteorológica, verificando-se um aumento da área em seca moderada nas regiões do Norte e Centro e uma diminuição da área em seca extrema na região Sul.

Deste modo, no final de setembro, a distribuição percentual por classes do índice de seca no território é a seguinte: 15.4 % do território em seca fraca, 48.4 % em seca moderada, 32.7 % em seca severa e 3.4 % seca extrema. Assim, em relação ao final do mês de agosto, verificou-se uma diminuição das regiões em situação de seca fraca e extrema, enquanto que aumentou a área do território em situação de seca moderada e severa.

Publicidade