tempo.pt

Deslocamento do eixo da Terra e as alterações climáticas

Tem-se verificado um deslocamento do eixo da Terra devido a diferentes fatores, entre eles as alterações climáticas. Contamos-lhe mais aqui!

O eixo da Terra
A Terra gira em torno de um eixo que sofre pequenos deslocamentos devido a diferentes fatores.

Equipas de investigação têm desenvolvido cada vez mais estudos para perceber melhor o fenómeno do deslocamento do eixo da Terra e suas causas.

Eixo da Terra e as alterações climáticas

A Terra gira em torno de um eixo, definindo-se os polos Norte e Sul, os pontos de interseção do eixo, linha invisível, com a superfície da Terra. Este eixo está sempre em movimento devido a processos que os cientistas ainda não compreendem completamente. Deste modo, as localizações dos polos Norte e Sul não são pontos estáticos e imutáveis no nosso planeta.

A forma como a água é distribuída na superfície da Terra é um fator que impulsiona o deslocamento do eixo da Terra, a chamada deriva polar. De acordo com Vincent Humphrey, um cientista do clima da Universidade de Zurique, a Terra gira em torno de um eixo como um pião. Se o peso do pião for deslocado, este começaria a inclinar-se e a oscilar à medida que o seu eixo rotativo se altera. O mesmo acontece com a Terra à medida que o peso é deslocado de uma área para a outra.

Segundo os cientistas, desde 1980, a posição dos dois polos mudou cerca de 4 metros, o que tem sido devido a alterações na hidrosfera, atmosfera ou terra sólida do globo. Nos anos 90 o polo norte derivou numa nova direção para leste, como observado pelas observações geodésicas espaciais.

Segundo Shanshan Deng, do Instituto de Ciências Geográficas e Pesquisa de Recursos Naturais da China e principal autor de um estudo recente publicado na Geophysical Research Letters, o derretimento mais rápido do gelo devido ao aquecimento global foi a causa mais provável da deriva polar na década de 1990.

O estudo indica que as contribuições da perda de água das regiões polares foram o principal impulsionador da deriva polar. Esta nova descoberta indica que existe uma relação estreita entre o deslocamento do eixo da Terra e as alterações climáticas.

Eixo da Terra e o bombeamento da água subterrânea

O mesmo estudo indica que, além do derretimento dos glaciares ter contribuído para o movimento polar, este deslocamento também tem sido causado em parte pelo bombeamento da água subterrânea.

Agricultura
A agricultura tem um impacto direto na distribuição da massa de água no globo.

A água subterrânea é armazenada no subsolo, mas uma vez que é bombeada para beber ou para a agricultura, a maior parte acaba fluindo para o mar, redistribuindo o seu peso pelo globo. Nos últimos 50 anos, a humanidade extraiu cerca de 18 biliões de toneladas de água de reservatórios subterrâneos profundos sem que ela fosse substituída.

Esta evidência revela o quanto a atividade humana direta pode ter um impacto nas alterações da massa de água na Terra. A sua análise revelou grandes mudanças na massa de água em áreas como por exemplo, a Califórnia, norte do Texas, a região em torno de Pequim e norte da Índia. Todas estas áreas têm bombeado grandes quantidades de água subterrânea para uso agrícola.

Assim, em conjunto, toda a redução e deslocamento da água na Terra explica a mudança para leste na deriva polar. No entanto, a velocidade média da deriva polar acelerou-se nos últimos anos. A deriva de 1995 a 2020 foi 17 vezes mais rápida do que a de 1981 a 1995. Este período também coincide com grandes derretimentos no Ártico e na Antártida.

De acordo com Vincent Humphrey, a mudança do eixo da Terra não é suficientemente grande para afetar a vida quotidiana. Esta mudança poderá mudar a duração do dia que vivemos, mas apenas por milissegundos.