O que acontece quando um raio atinge um arranha-céus?

As fortes trovoadas das últimas horas deixaram imagens tão espetaculares como estas, nas quais um raio alcança um edifício desencadeando uma chuva de faíscas e material incandescente.

Nas últimas horas têm ocorrido fortes tempestades em grande parte do território peninsular, destacando-se alguns sistemas que se deslocaram através do interior do sudeste e da costa mediterrânica. Um deles chegou à noite a Benidorm, onde uma poderosa descarga atingiu diretamente o telhado de um edifício alto.

Um raio não é mais do que uma descarga elétrica que é gerada entre dois pontos com diferente potencial (voltagem), igualando as cargas. Estas diferenças de potencial numa trovoada podem exceder 100 milhões de volts. Embora o ar seja um isolante elétrico, é incapaz de manter tamanho gradiente de potencial e, eventualmente, a rutura dielétrica do mesmo ocorre. Quando isto acontece, forma-se um canal condutor em estado de plasma através do qual circula uma corrente de dezenas ou mesmo centenas de milhares de amperes, aquecendo o ar a temperaturas extremas, cerca de 30 000 ºC, tornando-se visível e muito brilhante.

No canal condutor de um raio o ar pode alcançar temperaturas de 30 000 ºC, tornando-se visível e muito brilhante. A estas temperaturas o material onde atinge funde-se ou ferve instantaneamente.

Quando um raio atinge um objeto, como neste caso, a corrente que o atravessa pode torná-lo extremamente quente, especialmente se o material for um fraco condutor de eletricidade e oferecer resistência à sua passagem. A estas temperaturas o material derrete ou até ferve instantaneamente, como acontece com a cornija do edifício, o que desencadeia uma chuva de faíscas e material fundido que cai para o solo. Os raios representam, obviamente, um perigo extremo e o seu calor, onda de choque e descargas elétricas secundárias podem causar lesões graves mesmo a dezenas de metros de distância do seu ponto de impacto, pelo que é sempre conveniente evitar pontos de risco, tais como áreas elevadas, postes e árvores.