tempo.pt

Artemis: NASA espera que os humanos vivam na Lua ainda esta década

O ser humano pode permanecer na Lua por longos períodos durante esta década, segundo um investigador da NASA. Contamos-lhe mais aqui!

Homem na Lua
Orion encontra-se atualmente a cerca de 134 mil km da Lua.

50 anos depois da missão Apollo 17, a NASA lançou Artemis para regressar à Lua, o que abre caminho para o regresso de astronautas ao nosso satélite natural.

Howard Hu, que lidera o programa da nave espacial lunar Orion da NASA, disse que a criação de habitats na Lua seriam necessários para apoiar missões científicas. Hu afirmou à BBC, que o lançamento do foguetão Artemis, que transporta Orion, foi um "dia histórico para o voo espacial humano".

A missão

O foguetão Artemis de 100m de altura descolou do Centro Espacial Kennedy como parte da missão da NASA de levar os astronautas de volta ao satélite da Terra. No topo deste foguetão está a nave espacial Orion que, para esta primeira missão, não tem tripulantes, mas está equipada com um 'manequim' que registará os impactos do voo sobre o corpo humano.

O voo, que aconteceu há cerca de duas semanas (dia 16), seguiu duas tentativas de lançamento anteriores em agosto e setembro que foram abortadas durante a contagem decrescente, devido a problemas técnicos.

Com o sucesso deste voo, Hu frisou que ver Artemis descolar era "uma sensação inacreditável" e "um sonho". "É o primeiro passo que estamos a dar para a exploração do Espaço a longo prazo, não apenas para os Estados Unidos, mas para o mundo", afirmou.

Hu explicou que se o atual voo Artemis for bem sucedido, o próximo será com uma tripulação, seguido de um terceiro em que os astronautas voltariam a aterrar na Lua, pela primeira vez desde a missão Apollo 17, em dezembro de 1972.

Uma das fases mais críticas da missão Artemis I será trazer o módulo Orion de volta à Terra em segurança. Este irá reentrar na atmosfera do planeta a 38.000 km/h, ou 32 vezes a velocidade do som, e o escudo na sua parte inferior será sujeito a temperaturas que se aproximam dos 3000 ºC.

Uma vez testada e comprovada a segurança dos componentes e sistemas da Artemis, Hu afirma que o plano seria ter humanos a viver na Lua ainda "nesta década".

Esta primeira missão está a ser feita sem tripulação, mas caso continue a correr bem, a próxima já poderá levar tripulantes.

Uma grande parte da razão para voltar à Lua é descobrir se existe água no polo sul do satélite, acrescentou, pois isso poderia ser convertido para fornecer um combustível para embarcações que poderão ir mais fundo no espaço - como, por exemplo, a Marte.

A cápsula Orion deverá regressar à Terra a 11 de dezembro.