tempo.pt

1899 é a nova série de terror da Netflix com inspiração numa história real

Dos criadores de "Dark", chegou uma nova série à Netflix que combina suspense, terror e drama. "1899" é uma série que retrata vários casos reais, o que se crê ser capaz de prender os espectadores desde o primeiro minuto.

1899; série Netflix
A nova produção da Netflix, com o título 1899, é inspirada em vários eventos que combinam navios desaparecidos e a crise dos imigrantes europeus. Fonte: Notícias e Tecnologia

"1899" foi resultado da inspiração de Jantje Friese e Baran bo Odar. Com esta série, procuraram evidenciar os efeitos da crise migratória e do Brexit. A série está ainda assente em lugares enigmáticos, algo que se associa ao desaparecimento de navios e aviões no Triângulo das Bermudas.

A história de "1899" centra-se na personagem Maura Franklin (cuja interpretação cabe à atriz Emily Beecham), uma neurologista e uma das primeiras médicas do Reino Unido. Maura encontra-se a bordo de um navio que transporta migrantes na esperança de começarem uma nova vida na América. Ao cruzar-se com outro navio, há uma série de fenómenos inexplicáveis que se inspiram em acontecimentos reais.

Os eventos reais que servem de mote a "1899"

Em 1845, Sir John Franklin, capitão da Marinha Real Britânica, tentou, em conjunto com outros 128 marinheiros, mapear a Passagem do Noroeste numa viagem dramática pelo Ártico nos navios HMS Erebus e HMS Terror. Ambos ficaram presos no gelo poucos anos após o início da expedição e foram abandonados.

Durante esse período, a tripulação morreu por várias causas, tais como fome, escorbuto e hipotermia. O resto da embarcação do HMS Erebus foi encontrada por uma equipa de investigação do Canadá, em 2014, e, em 2016, foram detetados os restos do HMS Terror em Nunavut.

Além dos referidos anteriormente, coexistiram vários navios de emigrantes que cruzaram o Atlântico vindos da Europa, tais como o Kerberos e o Prometheus, em 1899.

A história dos navios fantasma

A série retrata também o caso do navio fantasma Mary Celeste. Esta embarcação foi encontrada no século XIX no Atlântico, nas proximidades das ilhas dos Açores.

De acordo com os relatos, apenas terá sido descoberto graças a outro navio que passava nas proximidades. O capitão ordenou que o navio abandonado fosse explorado, sendo que não foi encontrado qualquer vestígio dos passageiros. De qualquer forma, mais enigmático é o facto de se encontrarem lá as roupas, assim como rações de comida para 6 meses.

A crise dos refugiados

A crise dos refugiados sírios, também conhecida como crise migratória europeia, foi muito expressiva durante o ano de 2015 e levou a um aumento significativo no movimento de refugiados em toda a Europa. O aumento de refugiados levou a que 1,3 milhões de pessoas chegassem ao continente europeu para solicitar asilo.

HMS Erebus; gelo; 1899
HMS Erebus foi uma das embarcações que ficou retida no gelo e que agora acaba por ser retratado na série 1899.

Além de sírios, os indivíduos de nacionalidade afegã, nigeriana, paquistanesa, iraquiana e balcãs atravessaram o Mar Egeu, da Turquia para a Grécia.

O misterioso Triângulo das Bermudas

Também são vários os casos de navios que supostamente desapareceram no Triângulo das Bermudas, uma área no Oceano no Atlântico Norte, que por muito anos foi considerado como um lugar enigmático.

A diretora da série, Jantje Friese, frisou ao Deadline que “toda a vertente europeia foi muito importante para nós, não só pela história, mas também pela forma como a iríamos produzir. Ser fiel à cultura e ao idioma é muito importante, pois nunca quisemos ter personagens de diferentes países, embora todos falem inglês”.

A par dos elementos sobrenaturais do Triângulo das Bermudas, há muitos casos registados de naufrágios de navios que passaram pela área com centenas de marinheiros perdidos no mar, incluindo o HMS Atlanta em 1880, o HMS Eurydice, em 1978 e o USS Ciclope, em 1918.