tempo.pt

Temporal de chuva e vento forte no primeiro fim de semana de outubro

O tempo estável e soalheiro tem os dias contados em Portugal continental. A coincidir com o arranque do mês de outubro, uma frente atlântica muito ativa atravessará o território nacional, deixando chuva e vento forte. Onde terá mais impacto? Confira a previsão!

outono; outubro; fim de semana; chuva; vento
Mudança drástica do tempo em Portugal continental no primeiro fim de semana de outubro, com chuva e vento forte a caminho.

Os últimos dias do mês de setembro têm sido, em geral, caracterizados pelo ambiente bonançoso, estável e soalheiro. Embora com alguma nebulosidade alta a pairar, por vezes, na atmosfera, como é o caso desta quinta-feira (30), e com o vento Norte a dar um “ar da sua graça” com rajadas pontualmente intensas na faixa costeira ocidental, é o sol que tem dito “presente” na reta final do mês em que o outono inaugurou. E assim será ao longo de pouco mais do que as próximas 36 horas.

E se nesta sexta-feira, 1 de outubro, ainda teremos um panorama meteorológico marcado pela estabilidade e pela presença ocasional de abertas, os primeiros sinais que anunciam a iminente mudança do tempo vão começar a surgir conforme as horas passem, por meio do adensar da nebulosidade. Prevê-se para amanhã (1) períodos nublados durante quase todo o dia, em especial no litoral a norte do Cabo Carvoeiro, estando céu pouco nublado ou limpo no resto do país. 

O vento de Noroeste continuará a soprar fraco, por vezes moderado - sobretudo durante a tarde -, em todo o país. Quanto às temperaturas, estima-se uma descida generalizada, sobretudo das máximas. Pelo contrário, as mínimas vão registar uma pequena subida.

Guarda-chuvas e casacos ‘en garde’ para o fim de semana

Logo na madrugada de sábado (2), os primeiros “rasgos” de instabilidade vão-se fazer notar através da queda de precipitação associada a uma frente atlântica, que entrará primeiro pela região do Minho (distritos de Viana do Castelo e Braga). Em simultâneo, o vento rodará para o quadrante Sul, como já é típico destes fenómenos meteorológicos adversos, começando a soprar com cada vez mais força à medida que a frente fria de origem atlântica, derivada de uma intensa depressão posicionada nas Ilhas Britânicas e que poderá ser nomeada, for atravessando o nosso território. As rajadas máximas previstas para domingo, momento crítico da passagem da frente, estão na ordem dos 70 a 75 km/h nas terras altas do Norte e do Centro.

Nas horas seguintes, mas sobretudo durante a madrugada e manhã de domingo (3), a chuva, por vezes forte, acabará por chegar às restantes regiões do país, regando todo o território de uma assentada numa questão de horas. Tal como já é o normal daquilo que deriva deste tipo de perturbações frontais, os acumulados de precipitação mais abundantes serão registados a norte do rio Tejo, assumindo uma menor expressão espacial a sul do mesmo. 

Ainda assim, nem as regiões habitualmente mais secas do país, como é o caso do Alentejo e do Algarve, escaparão, no próximo domingo, à chuva. Esta frente, bastante ativa, atravessará toda a Península Ibérica, de oeste para leste até à próxima segunda-feira.

Também no domingo, associadas à massa de ar fria arrastada pela frente atlântica, as temperaturas, em especial as máximas, vão diminuir significativamente, com mais expressão nas regiões do Norte e do Centro. Para as capitais distritais, prevê-se que os termómetros assinalem máxima de 14 ºC na Guarda, 18 ºC no Porto, 20 ºC em Coimbra e Castelo Branco, 21 ºC em Lisboa e Évora e 25 ºC em Faro. O vento soprará predominantemente de Sudoeste, especialmente na faixa costeira, mas em certos pontos do interior do país soprará de Noroeste.

Para segunda-feira ainda estão previstos alguns chuviscos, sobretudo no Minho e Douro Litoral, regiões que possuem a maior probabilidade de receber chuva associada a esta frente. Em Espanha, logo nos primeiros dias de outubro e como resultado das condições meteorológicas adversas, está prevista também queda de neve para os Pirenéus.

E nos Arquipélagos?

Para os Açores prevê-se tempo variável, com predomínio de períodos nublados e algumas abertas em todos os Grupos de Ilhas, mas há risco de chuviscos fracos, tanto no sábado como no domingo, embora em quantidades pouco significativas. As temperaturas máximas rondarão 23 ºC a 24 ºC em Ponta Delgada e restantes localidades, e o vento soprará em geral de Noroeste no sábado, apresentando direções e intensidades variáveis no domingo.

Quanto à Madeira, predominará o vento moderado a forte de Nordeste, sobretudo na vertente norte da ilha, com tendência para diminuir de intensidade até domingo. As máximas rondarão os 23 a 24 ºC, esperando-se um aumento para os 25 ºC no Funchal no domingo. Em geral, prevê-se ambiente estável e soalheiro, com alguma nebulosidade presente.