tempo.pt

Próximos dias em Portugal: até 37 ºC e risco de chuva e trovoadas

As temperaturas já estão a subir e vão deixar-nos dias de calor intenso de norte a sul de Portugal continental. Contudo, o tempo está tão variável que, em breve, é possível que volte a mudar. O que poderá acontecer? Confira a previsão para o nosso país!

sol; nuvens de trovoada
A subida da temperatura e o calor intenso são inevitáveis nos próximos dias em Portugal continental. E depois disso, o que nos conta a previsão do tempo?

A primeira metade da semana em Portugal continental foi dominada, do ponto de vista meteorológico por nuvens, períodos de chuva fraca e intermitente, bons períodos de sol e um regime de vento forte de Noroeste. Entretanto, nesta quinta-feira, dia 26, o estado do tempo alterou-se substancialmente no nosso país, apresentando-se muito estável.

Hoje, para além do céu quase limpo na totalidade do território, para o qual contribuiu largamente o anticiclone em crista, há que salientar a corrente de leste quente e seca vinda do interior de Espanha, que se traduz em ventos, por vezes fortes, provenientes maioritariamente do mesmo quadrante. Como se não bastasse, a própria radiação solar e o efeito de continentalidade contribuíram, além dos aspetos supracitados, para a subida acentuada da temperatura que sentimos já nesta quinta-feira. A máxima superou os 30 ºC em várias capitais de distrito, como Coimbra, Leiria, Santarém e Beja.

A temperatura ainda vai subir mais em Portugal continental: até quando?

Amanhã haverá uma mudança muito significativa do ponto de vista térmico. O calor vai intensificar-se substancialmente. Espera-se que a temperatura máxima atinja ou ultrapasse os 30 ºC em 15 das 18 capitais de distrito de Portugal continental! Sexta-feira, dia 27, será, sem dúvida, o dia mais quente desta semana. Prevê-se céu pouco nublado na metade ocidental (litoral) ao passo que na metade oriental (interior) deverá estar predominantemente limpo. O vento continuará a soprar, em geral, de Leste e por vezes forte.

Para sábado, dia 28, prevê-se a manutenção de um calor anómalo para a época do ano, apesar da descida da temperatura no país inteiro. O termómetro deverá registar máxima de 27 ºC no Porto, 25 ºC em Lisboa e 23 ºC em Faro, o que irá contrastar imenso com a grande maioria das restantes capitais distritais, que provavelmente registarão valores ainda a rondar os 30 ºC. Além disso, espera-se nebulosidade média ou alta em grande parte da faixa costeira e também em pontos do Ribatejo e do Alentejo. O vento soprará de direções variáveis, por vezes forte, começando a intuir-se algumas mudanças no curto prazo e que terão efeito a partir de domingo, dia 29.

E de domingo em diante, o regresso da chuva e trovoada?

Ao longo de domingo, dia 29, espera-se uma mudança notável em termos térmicos, com uma descida generalizada – e acentuada (no litoral) - da temperatura máxima. Graças à aproximação à Península Ibérica por parte de uma depressão atlântica, o céu apresentará alguns períodos nublados. Apesar da elevada incerteza neste cenário, a previsão indica o risco de que, inclusive durante a tarde de domingo, as nuvens se desenvolvam e originem aguaceiros dispersos, possivelmente acompanhados de trovoada, sobretudo no interior da Região Norte (distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Bragança), podendo chegar até pontos do distrito de Viseu.

Refira-se ainda, que tendo em conta a atual projeção, detentora de um elevado grau de incerteza, há a possibilidade de entre segunda, 30 de maio, e quarta-feira, 1 de junho em Portugal continental ocorrer a eclosão de novas frentes associadas à dita depressão atlântica, que se refletiriam sob a forma de chuva ou aguaceiros, e trovoadas dispersas.

Estas potenciais áreas de instabilidade em altitude distribuir-se-iam sobretudo a oeste da Barreira de Condensação, mas também a leste da mesma, maioritariamente por territórios das Regiões Norte e Centro. Mesmo assim, para segunda-feira, dia, 30, poderá também cobrir grande parte da faixa costeira, entre Caminha e a Península de Setúbal. Antes de chegar a Portugal continental, algumas das frentes associadas à depressão atlântica passarão pelos Açores, deixando chuva, por vezes forte, e vento com rajadas intensas, de até 80 km/h!

No entanto, este cenário meteorológico está longe de estar confirmado para Portugal continental, e irá requerer constante vigilância, no sentido de se perceber se a atual previsão se confirma. Até lá, mantenha-se sempre informado connosco, através da secção de notícias, mapas, modelos, radares, imagens de satélite e avisos meteorológicos, para a previsão do tempo.