tempo.pt

Espantoso! Fóssil de dinossauro com a sua pele descoberto no Canadá

A esperança dos investigadores reside na impressionante preservação do fóssil, encontrado na "mina" com maior riqueza paleontológica do nosso planeta. Saiba mais aqui!

Hadrossauro com crista tubular, Canadá, 2016
Embora poucas imagens desta descoberta tenham sido publicadas, podemos ter uma ideia do fóssil deste Hadrosaurus Parasaurolophus encontrado em 2016 em Alberta, Canadá.

Para esta notícia científica, regressaremos a 2019. Neste período, universidades do Reino Unido e da Austrália uniram forças com o Museu Royal Tyrrell no Canadá. O objetivo era encorajar a investigação no Parque Provincial dos Dinossauros de Alberta, localizado no Canadá, para que os estudantes de paleontologia realizassem explorações.

No entanto, devido ao confinamento vivido à escala global, o trabalho de campo teve de ser adiado até 2021. E valeu a pena esperar, porque não só encontraram ossos fossilizados, mas também se aperceberam de que ainda havia vestígios de pele. A partir da formação rochosa, foram capazes de observar partes de uma perna e da cauda com estas características.

Vamos conhecer o Hadrossauro!

Esta espécie espalhou-se por vários continentes que se encontram atualmente no nosso mapa. Por exemplo, percorreu a América do Sul, Antártida, Europa, Ásia e América do Norte. O seu período de existência estende-se até ao Cretáceo tardio.

Em particular, o fóssil encontrado data de há 75 milhões de anos. E embora existam vários registos de fósseis de "Dinossauros com bico de pato", para a equipa de investigação esta descoberta é reveladora, porquê?

Hadrossauro, Canadá, esqueleto
Esqueleto de um Hadrossauro Duckbill, encontrado no Parque Provincial dos Dinossauros de Alberta em 2016. Estima-se que tenha cerca de setenta milhões de anos de idade.

Considerando a posição do hadrossauro, é provável que o resto do seu corpo esteja no interior da colina explorada. Esta situação tem vindo a aumentar as esperanças dos paleontólogos, pois o esqueleto completo poderia estar na rocha que ainda não foi escavada.

De acordo com a Real Academia Espanhola, o Cretáceo é um período geológico que se estende de 144 a 65 milhões de anos atrás. Caracterizou-se pela subida das grandes cordilheiras dos Himalaias e dos Andes.

Os paleontólogos têm expectativas altíssimas, especialmente no estado de conservação em que o fóssil foi encontrado. O objetivo é extrair o seu crânio da rocha para identificar as espécies específicas de hadrossauro descobertas.

Os investigadores afirmam que os restos fósseis correspondem a um Hadrossauro, mais conhecido como um dinossauro com bico de pato.

Além disso, o tamanho da perna e da cauda indica que pode ser um hadrossauro jovem. Isto fornece informação privilegiada sobre o seu desenvolvimento e fisionomia.

O "berço" dos fósseis

O Parque Provincial dos Dinossauros é uma das mais ricas "minas" paleontológicas da Terra e cobre uma área de mais de setenta quilómetros quadrados. Mais de quarenta espécies de dinossauros foram encontradas aqui, principalmente as que viveram no período Cretáceo Superior.

Parque Provincial dos Dinossauros, Alberta, Canadá
O Parque Provincial dos Dinossauros, declarado Património da Humanidade em 1979, localiza-se numa área desértica de Alberta, no Canadá.

Em 1979, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) declarou este espaço como Património da Humanidade. O Museu Royal Tyrrell alberga todos os fósseis descobertos desde meados da década de 1980. Desta forma, podem ser exibidos, conservados e estudados de modo a gerar mais conhecimento sobre eles.

O que falta ainda fazer? Serão necessários anos de trabalho para extrair o fóssil completo. A escavação começará no topo da colina, onde o hadrossauro se encontra. Assim, daqui a pouco tempo saberemos, com certeza, o que foi descoberto neste local remoto.