Tempestade tropical Pablo e seus efeitos nos Açores

A pequena tempestade tropical Pablo e uma região depressionária originaram fortes chuvas ontem no arquipélago dos Açores, sobretudo nas ilhas de São Miguel, Santa Maria e Graciosa. Houve inundações e deslizamentos de terra contabilizando-se 12 ocorrências. Contamos-lhe tudo aqui!

Alfredo Graça Alfredo Graça 27 Out. 2019 - 12:18 UTC

Ontem, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estendeu os avisos amarelos emitidos para as ilhas dos grupos central e oriental dos Açores até às 6 horas de domingo (hora local) devido à previsão de precipitação forte, por vezes acompanhada de trovoada.

Nesse momento, estimava-se que São Miguel e Santa Maria fossem alvo de vento forte de Sul e depois de Oeste, com rajadas até 100 km/h bem como ondas de altura entre 5 e 7 metros até final do dia de ontem (26 de outubro), tudo devido à tempestade tropical Pablo, nomeada pelo National Hurricane Center, a 16ª tempestade esta época.

À data de hoje, esta é a única estrutura nomeada como tempestade tropical e situa-se em águas relativamente frias do Atlântico Norte não-tropical.

A instabilidade do tempo levou ao registo de 12 ocorrências, segundo o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA): oito na ilha Graciosa e quatro na ilha de São Miguel. Geraram-se inundações em habitações e estabelecimentos comerciais e deslizamentos de terra não havendo registo de vítimas ou necessidade de realojamentos. Na ilha de São Miguel houve um acidente de viação, com três vítimas: uma mulher de 29 anos que teve de ser desencarcerada, e duas crianças.

Publicidade