tempo.pt

Relâmpago provoca morte de mulher e dois cães no sul da Califórnia

A morte de uma mulher e dos seus dois cães foi a primeira causada por um relâmpago em 2022 nos EUA. Ocorreu durante um “bombardeamento” de relâmpagos na área de Los Angeles na passada quarta-feira. Saiba mais aqui!

relâmpago; raio; trovoada;
Esta foi a primeira morte por relâmpago em 2022 nos EUA. Contudo, ocorreu num lugar onde as trovoadas têm uma frequência menor. O que desencadeou este trágico evento?

Uma mulher, identificada mais tarde pelas autoridades como Antonia Mendoza Chávez (52 anos de idade), e os seus dois cães - Luna e Chubby - foram alegadamente mortos por um relâmpago. Este trágico acontecimento ocorreu durante um passeio na passada manhã de quarta-feira, 22 de junho, na cidade de Pico Rivera (perto de Los Angeles) no sul da Califórnia (EUA), de acordo com as autoridades locais.

Segundo John Jensenius, especialista em segurança contra relâmpagos do National Lightning Safety Council, a morte da mulher foi a primeira morte por relâmpago conhecida nos Estados Unidos em 2022. As mortes por relâmpagos são raras na Califórnia, sendo que apenas nove pessoas morreram por esta razão desde 2006. Em 2021, em toda a extensão territorial da parte continental dos Estados Unidos da América (EUA), foi registado um total de 11 mortes por relâmpagos.

“O relâmpago teve lugar perto do rio San Gabriel, em Pico Rivera, cidade situada a cerca de 16 quilómetros a sudeste do centro de Los Angeles, pouco antes das 9 horas da manhã, hora local.” - Sargento Jonathan Branham, do condado de Los Angeles.

"Não vemos mortes por relâmpagos como esta, é raro", disse o detetive Morgan Arteaga do Departamento do Xerife de Pico Rivera. As autoridades responsáveis em Pico Rivera disseram aos residentes para permanecerem dentro das suas casas enquanto a tempestade passava.

A filial do Serviço Nacional (Norte-Americano) de Meteorologia de Los Angeles (NWS – Los Angeles, sigla em inglês) que os residentes em San Gabriel Valley (onde se situa Pico Rivera) deviam estar, para o dia seguinte (quinta-feira, 23 de junho), atentos à possibilidade de mais aguaceiros e "relâmpagos perigosos".

Ao longo de três horas, uma série de acessos às praias foram encerrados devido às fortes tempestades nesta área do sul da Califórnia.

A cidade ordenou que as suas equipas de trabalho e campos de férias tivessem lugar dentro de portas devido à tempestade, tendo cancelado todas as atividades ao ar livre, incluindo um mercado agrícola.

O que provocou esta atividade elétrica tão intensa numa área onde os relâmpagos são raros?

“Os relâmpagos ao longo da costa ocidental são menos frequentes do que em qualquer outro lugar nos Estados Unidos continental", disse o meteorologista Brian Thompson da AccuWeather. "Uma vez que os relâmpagos acontecem com tão pouca frequência nesta área, especialmente perto da costa, pode ser mais fácil ser apanhado desprevenido por um raio".

Apesar disto, a área do sul da Califórnia foi bombardeada com muitos relâmpagos na quarta-feira, 22 de junho, à medida que imensas trovoadas se deslocavam pela região, embora nem toda a precipitação tenha sido capaz de atingir o solo.

Segundo Thompson, de terça, 21 para quarta-feira, 22 de junho, ocorreram mais de 5.000 descargas elétricas atmosféricas em todo o sul da Califórnia. O meteorologista acrescentou mesmo que "Só na quarta-feira, às 8 horas da manhã, já tinham sido registados mais de 500 relâmpagos".

Uma depressão isolada em altitude (ou Gota Fria) a girar desde Oeste, combinada com alguma humidade de monção, foram os ingredientes perfeitos que, juntos, produziram as trovoadas ao longo da costa e que, lamentavelmente, provocaram a primeira morte por relâmpago nos Estados Unidos da América neste ano de 2022.