Indonésia usa 'chuva artificial' para o combate a incêndios florestais

No último ano os incêndios na Indonésia devastaram mais de 1,6 milhão de hectares de terra. Antes do pico da estação seca deste ano, o governo da Indonésia anunciou que vai implementar 'chuvas artificiais' para evitar a recorrência dos incêndios florestais.

Incêndios na Indonésia
Apesar dos incêndios florestais serem comuns durante a intensa estação seca da Indonésia, os incêndios no ano passado foram muito mais graves do que nos anos anteriores.

Numa tentativa de evitar a recorrência dos incêndios florestais do ano passado que destruíram milhões de hectares de terra, o governo da Indonésia anunciou que vai implementar a técnica de “chuva artificial” antes do pico da temporada de secas deste ano.

O ministro do Meio Ambiente e Florestas do país, Siti Nurbaya, disse que as chuvas induzidas pelo homem já foram utilizadas com sucesso em várias áreas propensas a incêndios. Numa conferência de imprensa que ocorreu na semana passada, Siti anunciou que o governo havia colaborado com a Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica da Indonésia, bem como com a Agência de Avaliação e Aplicação de Tecnologia para desenvolver a chuva artificial.

Embora os incêndios florestais sejam comuns durante a intensa estação seca da Indonésia, os incêndios no ano passado foram muito mais graves do que nos anos anteriores. Os incêndios devastaram mais de 1,6 milhão de hectares de terra e produziram quase o dobro de dióxido de carbono do que as queimadas da Amazónia no Brasil. Grande parte do sudeste da Ásia viu-se envolvida por uma névoa tóxica, o que levou a um aumento das doenças respiratórias e também forçou o encerramento de aeroportos e escolas.

Muitos temiam que, devido à atual pandemia de COVID-19, o governo não pudesse intensificar seus esforços para impedir que os incêndios se espalhassem. No entanto, funcionários do governo disseram que tomaram várias medidas para impedir que os incêndios voltem a ocorrer este ano. A Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica da Indonésia previu que a estação de seca deste ano começará em junho e atingirá o pico em agosto.

Chuva Artificial

A técnica de produzir chuva de forma artifical já é muito comentada e utilizada por alguns países como China e Emirados Árabes Unidos. Basicamente, a chuva artificial é a prática de induzir ou aumentar artificialmente a precipitação adicionando agentes externos nas nuvens.

Estes agentes externos podem ser diversos tipos de partículas, tais como: gelo seco (dióxido de carbono sólido), iodeto de prata, sal em pó, etc. Este processo é conhecido como semeadura de nuvem e o estímulo é levado a cabo por aviões ou foguetes.

A primeira etapa inclui o uso de produtos químicos para estimular a massa de ar a formar nuvens. Estes produtos químicos absorvem o vapor de água e ajudam no processo de condensação. Produtos químicos como - Óxido de cálcio, composto de ureia e nitrato de amónio ou carbonato de cálcio e cloreto.

Na segunda etapa, a densidade das nuvens aumenta. No estágio final, as aeronaves sobrevoam as proximidades da nuvem e despejam os agentes externos que facilitam o crescimento das gotas de água que, posteriormente, precipitam sob a forma de chuva.