tempo.pt

Frio polar invade Portugal no primeiro fim de semana de 2021

Este fim de semana será abraçado por uma massa de ar ártico que trará uma descida acentuada das temperaturas, frio intenso, neve e vento. Este panorama arrastar-se-á pelo menos até ao Dia de Reis. Estaremos a falar de uma vaga de frio?

neve; inverno
Para além da queda de neve, o frio intenso e as temperaturas baixas vão ter uma duração anómala. Até quando?

Apesar de já estarmos a sentir frio, é a partir do Ano Novo que o tempo e o ambiente exterior vão ficar mais gélidos devido à chegada de uma perturbação polar que está situada sobre a Europa Ocidental.

A invasão de uma massa de ar polar até às nossas latitudes, bastante intensa e com previsão para que se prolongue até pelo menos meados da próxima semana, arrastará consigo a probabilidade de queda de neve em lugares pouco habituais. Será acompanhada por um fluxo de norte/noroeste, e trará frio intenso e nortadas, para além da neve já mencionada.

Frio intenso nos próximos dias

A massa de ar frio que já está a penetrar território nacional vem acompanhada pelo vento do quadrante norte/noroeste, que soprará moderado, por vezes forte durante o primeiro fim de semana de 2021. Teremos pouca chuva até domingo (3), sendo que a precipitação que cair será em regime de aguaceiros, de curta duração e de forma dispersa. Ainda durante o dia de amanhã, dia de Ano Novo (1) a precipitação que cair nos pontos do interior e sobretudo nas áreas montanhosas e de maior altitude, será sob a forma de neve. A serra da Estrela será uma das regiões que acumulará mais neve, estimando-se até 8 cm de espessura durante este fim de semana. Em alguns territórios montanhosos do extremo Norte de Portugal continental, por força da intrusão deste ar polar, registar-se-á queda de neve entre os 400 e os 600 metros de altitude.

No domingo as temperaturas máximas em território continental praticamente não passarão dos 11 ºC, à exceção da região do Algarve e de algumas localidades do Baixo Alentejo. As mínimas previstas para este fim de semana vão deixar o país ‘congelado’, em especial no interior das regiões Norte e Centro. Os termómetros antecipam mínimas de -5 ºC para Bragança, -3 ºC para a Guarda, -1 ºC para Vila Real, -3 ºC para Viseu, -3 ºC para Castelo Branco, -1 ºC para Portalegre. Já no Porto, a mínima vai baixar até aos 0 ºC, e em Lisboa ficará pelos 5 ºC. As noites serão significativamente frias, prevendo-se a formação de gelo e geadas em grande parte da geografia que constituirão um risco acrescido de potenciais danos para as culturas agrícolas.

Ainda que sejamos brindados por este ambiente gélido, caracterizado por alguns flocos de neve no interior norte e na principal cordilheira montanhosa de Portugal continental, o fim de semana será composto por um cenário de céu limpo ou pouco nublado na generalidade do país, esperando-se tempo soalheiro, muito frio e seco.

Com temperaturas consideravelmente abaixo do normal, bem como a persistência, duração e magnitude apresentada pelo frio polar intenso, poderemos estar perante uma colossal vaga de frio

Na próxima semana o panorama mantém-se, estaremos a falar de uma vaga de frio?

O ar ártico vai continuar a ser bombeado até Portugal continental para além de domingo, prevendo-se que este panorama meteorológico se mantenha até meados da próxima semana. Pelo menos até ao Dia de Reis, vai persistir o frio intenso, as temperaturas muito baixas e a neve em locais pouco habituais. Por vezes teremos alguns aguaceiros. Como estas temperaturas muito abaixo do habitual e o frio intenso se denotam devido à magnitude e persistência apresentada, poderemos estar perante uma poderosa vaga de frio.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial, este fenómeno ocorre quando, num período de 6 dias consecutivos, a temperatura mínima do ar é inferior em 5 ºC ao valor das temperaturas mínimas diárias no período de referência. Tal possibilidade poderá verificar-se devido ao que os mapas de previsão do ECMWF mostram, tanto devido à duração da vaga de frio, como pela anomalia térmica apresentada.