Chuva e vento não dão tréguas até ao fim de janeiro

A mudança do estado do tempo já começa a verificar-se em Portugal continental. Até ao final do mês, prevê-se vento e muita chuva, existindo risco de inundações. Confira aqui onde e quando vai chover mais.

Alfredo Graça Alfredo Graça 27 Jan. 2020 - 16:07 UTC


Carro à chuva
Até ao final do mês, não vai parar de chover no norte do país. Prepare o guarda-chuva!

De acordo com o nosso modelo de referência, o ECMWF, a instabilidade vai acentuar-se esta semana, dando seguimento a uma tendência que começou a desenhar-se ao final do dia de ontem (domingo) e que ocorre devido ao enfraquecimento das altas pressões e ao posicionamento de uma depressão no Atlântico Norte que influencia, desta forma, o panorama do estado do tempo em Portugal continental.

As regiões mais atingidas pela chuva serão o Minho, os distritos do Porto e de Aveiro e o Arquipélago dos Açores. Até ao fim do mês, a situação sinótica dificilmente irá mudar, antecipando-se uma semana com potencial risco de inundações no Norte, devido à saturação dos solos que vai persistindo. A chuva subirá de ritmo e intensidade nos próximos dias, com longos períodos de chuva fraca a moderada e nebulosidade a pintar de cinza o céu.

O distrito do Porto e a região do Minho vão superar os 100 l/m2, sendo que no Minho o cenário é bastante elucidativo: a chuva não vai dar tréguas, esperando-se um impressionante acumulado de 160 l/m2 nas próximas 72 horas. A previsão por nós traçada na última sexta-feira revelou-se acertada, uma vez que a passagem de sucessivas frentes atlânticas começa agora a verificar-se.

De facto, os modelos apostam num cenário de tempo adverso, pautado por chuva fraca a moderada, vento moderado e possivelmente trovoada. Isto nos próximos cinco dias, incluindo hoje. Nas Regiões Autónomas a semana será de tempo chuvoso e ventoso nos Açores, enquanto que na Madeira vai predominar a estabilidade, com tempo ameno, vento fraco e céu pouco nublado.

Na sexta-feira o tempo agrava-se

No último dia de janeiro de 2020 a precipitação será intensa na região Norte, mas débil nos restantes territórios. Podemos vir a testemunhar a ocorrência de cheias no litoral Norte, com possível galgamento de margens por parte dos rios. Quanto às possíveis inundações, elas dependem da capacidade de prevenção destes riscos e do escoamento existente. Este cenário é bem mais provável na região minhota e na região duriense (parte litoral).

É possível que ocorra trovoada, mas como ainda faltam alguns dias não há certeza a 100%. É um cenário para ir acompanhando conforme as atualizações dos mapas. Na região Centro também vai chover mas em muito menor quantidade. Até norte do rio Tejo, os acumulados de precipitação serão razoáveis, estimando-se algo entre 40 a 80 l/m2 , possivelmente mais, tendo em conta a cartografia do modelo Europeu.

Nos próximos dias, tal como por nós antecipado, vamos sentir o tempo a aquecer. Teremos um ambiente ameno que proporcionará temperaturas mais suaves. As mínimas vão oscilar entre 5 ºC no distrito da Guarda e 14 ºC no de Setúbal. As máximas serão de 15 ºC no distrito do Porto, 16 ºC no de Lisboa e 17 ºC no de Faro.

O ar frio e seco dará lugar à humidade e ao tempo ameno. A neve não se vai formar tão cedo, nem mesmo nos pontos mais altos. Até ao final da semana, prevê-se que a neve acumulada nas serras de maior altitude derreta. Quanto ao vento, soprará moderado de Sul nas regiões Norte e Centro, e às vezes de Oeste. No Sul, vai soprar fraco. Resgate o guarda-chuva, vai precisar dele!

Publicidade