Semana quente devido ao calor, chuviscos e trovoada no interior Norte

O tempo esta semana permanecerá quente. Muito calor no interior, com risco de incêndio e tempo ameno no litoral, com possível ocorrência de aguaceiros e trovoada no norte de Portugal. Saiba onde e quando!

Alfredo Graça Alfredo Graça 22 Jul. 2019 - 17:38 UTC


Persistência de valores elevados da temperatura máxima obrigou o IPMA a decretar aviso amarelo para oito distritos de Portugal continental.


Após um fim de semana de imenso calor que se alastrou de norte a sul do país, com maior impacto nos territórios do interior, e de dias assustadores e trágicos para os residentes de Castelo Branco e Santarém devido aos incêndios que ainda assolam algumas das localidades desses distritos, o que nos reserva a atmosfera para esta semana em Portugal continental? Não é novidade nenhuma que por estarmos no verão o calor e as temperaturas altas vão permanecer em solo nacional.

O modelo ECMWF demonstra a ascensão de massas de ar tropical e quente desde o norte de África rumo aos países europeus, começando pela Península Ibérica onde a metade oriental de Portugal será mais afetada (correspondente ao interior), contrastando ligeiramente com o tempo mais ameno no litoral, especialmente entre Viana do Castelo e Coimbra. Depois, o calor vai arrastar-se por Espanha, França e inclusivamente para outros países mais a norte como Alemanha e Países Baixos.

A análise às cartas sinóticas demonstra a deslocação progressiva de um centro de altas pressões (anticiclone) rumo a sudoeste e uma depressão de carácter ligeiro no noroeste do continente. Aliás, antecipa-se uma situação de fraca precipitação no litoral Norte na jornada de quinta-feira (25 de julho). Portanto, até lá, os dias continuarão quentes, em especial hoje e amanhã, com aviso amarelo decretado pelo IPMA para os distritos de Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja.

Muito calor, alguma chuva e possível trovoada

Amanhã, prevê-se céu muito nublado no litoral Norte e Centro e pouco nublado nos restantes territórios. Os mapas revelam também céu limpo nos distritos de Portalegre, Évora, Beja e Faro. No interior Norte (Bragança e Guarda), deverá gerar-se o desenvolvimento de nuvens verticais, cumulunimbos, com aguaceiros e atividade elétrica acompanhados de queda de granizo localmente intensa. O vento soprará de quadrante Norte, fraco a moderado, rodando posteriormente para Noroeste ou Oeste.

Na quarta-feira o panorama meteorológico pouco se altera. As temperaturas vão permanecer elevadas na generalidade do território continental, sobretudo no interior. No Porto, o termómetro marcará 22 ºC, em Bragança 35 ºC, em Lisboa 32 ºC e em Castelo Branco 37 ºC, em Évora 37 ºC e em Faro 28 ºC. O risco de desenvolvimento de incêndios florestais será elevado devido às condições reunida: baixa humidade, fraca qualidade dos solos e temperaturas altas. Tudo isso poderá servir de rastilho para a calamidade que já afeta o país. O vento soprará fraco a moderado tendencialmente de Noroeste.

Para quinta-feira prevê-se um ligeiro arrefecimento da atmosfera, esperando-se desenvolvimento de chuva fraca no Minho (distritos de Viana do Castelo e Braga) e no Porto. Os termómetros vão registar descida das temperaturas nesse dia, mas o calor continuará no interior, com o tempo a manifestar-se soalheiro, quente e abafado. O vento soprará fraco a moderado de noroeste.

Para sexta-feira os termómetros não passarão dos 32 ºC em Beja, distrito que registará a máxima mais alta desse dia. A temperatura diminuirá de forma mais acentuada, registando-se céu parcialmente nublado na generalidade do continente e céu limpo em Lisboa, Setúbal, Santarém e Évora.

Publicidade