tempo.pt

Depressão Denise não afetará Portugal, mas chuva, vento e neve mantêm-se!

A depressão Denise, formada no Golfo de Génova, foi hoje nomeada pelo Serviço Meteorológico Espanhol (AEMET). Contudo, esta tempestade de alto impacto não irá afetar Portugal. Ainda assim, os próximos dias serão de chuva, vento e neve. Até quando? Consulte a previsão!

Denise; chuva; meteorologia; Portugal
A depressão Denise não afetará Portugal continental, no entanto o estado do tempo continuará chuvoso e instável. Até quando?

No passado fim de semana o fluxo zonal de oeste voltou a afirmar-se em Portugal continental graças à descida em latitude do jato polar, o que se reflete na circulação de depressões muito mais perto do território ibérico.

As condições meteorológicas mais adversas deste panorama deverão surgir entre terça (22) e quinta-feira (24), apesar desta segunda-feira (21) já ter sido bastante agitada. Nestes próximos dias serão notícia não só o vento, a chuva e a ondulação marítima, como também, em menor dimensão, o risco de ocorrência de trovoada e a possível queda de neve.

Esta segunda-feira o Serviço Meteorológico Espanhol (AEMET) nomeou a quarta depressão de alto impacto da temporada 2022/2023, a tempestade Denise. Contudo, Denise não irá influenciar, de maneira nenhuma, o estado do tempo em Portugal continental.

Mesmo assim, prevê-se um agravamento do estado do tempo no nosso país nos próximos dias, fruto das frentes associadas a depressões que circulam pelo oceano Atlântico e à consequente intensificação do vento.

Mais frentes atlânticas regarão abundantemente o nosso país até quinta

Várias depressões atlânticas, estas mais distantes da nossa geografia, deixarão uma nova “fornada” de frentes que despejarão mais chuva em Portugal continental nos próximos dias. Para terça (22) prevê-se a chegada de uma nova frente quente que reativará a precipitação na fachada atlântica, e também um pouco pelo resto do país.

O dia será ameno e muito ventoso! Nas últimas horas de terça-feira (22) prevê-se a entrada de outra frente, desta vez fria, que se passeará por boa parte do nosso território (principalmente Norte e Centro) durante grande parte de quarta-feira (23).

Ainda assim, parte desta chuva poderá ultrapassar a barreira orográfica que pressupõe o sistema montanhoso Montejunto-Estrela e regar parte do território alentejano, e quiçá, algarvio.

A precipitação mais abundante e persistente ocorrerá nas áreas expostas ao vento de Oeste, principalmente no Noroeste do país e na área da Serra da Estrela, o que grosso modo compreende os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, pontos dos de Vila Real e Viseu e, também, Guarda e Castelo Branco. As rajadas, no litoral poderão atingir até 75 km/h e nas terras altas até 90 km/h!

Na quinta-feira (24) mais chuva cairá de norte a sul de Portugal continental por causa da chegada de outra frente. O vento continuará a soprar de Sudoeste, embora com menos intensidade. O ambiente térmico continuará ameno, mas com os valores da temperatura do ar a experienciar subidas e descidas graças às passagens das sucessivas frentes.

Esta segunda-feira (21) voltou a nevar na Serra da Estrela e em pontos das montanhas do extremo Norte, e, no que resta da semana, apenas amanhã terça-feira (22), poderá voltar a cair neve a partir dos 1400 metros de altitude.

Açores e Madeira, como estará o tempo?

Na Madeira haverá fluxo de Noroeste/Nordeste durante toda a semana e um estado do tempo variável, com predomínio de nebulosidade, apesar de bons períodos soalheiros e alguns aguaceiros. No Funchal, a temperatura máxima prevista é de 22 ºC e a mínima de 18 ºC.

chuva; meteorologia; açores
Sucessivas frentes atlânticas deixarão precipitação abundante em todo o Arquipélago dos Açores ao longo desta semana.

Nos Açores sucessivas frentes regarão o território, exceto na quinta e possivelmente no domingo, pelo que se registará um estado do tempo chuvoso e instável, com fluxo de Oeste/Sudoeste dominante. A temperatura máxima prevista para Ponta Delgada é de 20 ºC e a mínima é de 14 ºC.

Fim do fluxo zonal a partir de sexta-feira

Com um considerável grau de confiança, tudo indica que uma vigorosa crista anticiclónica irá surgir pelo ocidente Europeu posicionando-se sobre a Península Ibérica na reta final desta semana, especificamente, a partir de sexta-feira (25).

Com este panorama prevê-se sexta (25), sábado (26) e domingo (27) muito mais estáveis meteorologicamente, praticamente sem precipitação de lés a lés a de Portugal continental, com céu por vezes nublado, mas também bons períodos de sol. Nos vales do interior poderá surgir nevoeiro ou neblina. A temperatura diurna deverá subir ligeiramente, ao passo que a noturna descerá acentuadamente, trazendo o frio próprio da época do ano.