Os 3 faróis mais perigosos e surpreendentes do mundo

O seu papel é indispensável para a "pesca" no mar, mas há alturas em que a sua presença também acarreta alguns riscos. Vamos dar uma olhadela ao top 3 dos faróis mais perigosos e deslumbrantes do mundo, com algumas imagens impactantes.

farol; tempestade
O Dia Mundial do Farol celebra-se a 7 de agosto.

Faróis, a musa de tantos artistas. Músicos, escritores, pintores viram (e ainda vêem) estas imensas estruturas luminosas como uma inspiração. São pontos de referência, fortes, resistentes, alguns deles muito velhos, muito solitários e desamparados, mas de grande valor pois a sua presença pode fazer a diferença entre a vida e a morte.

Embora os sistemas modernos de navegação por satélite, como o GPS, ponham em risco o emprego dos faroleiros, uma profissão em extinção, estes continuam a ser úteis para a navegação noturna, pois permitem verificar o posicionamento do navio na carta náutica.

Estas grandes construções em forma de torre possuem um sistema de iluminação constituído por um projetor e um mecanismo de rotação, indispensável à navegação noturna. Estão geralmente situadas em ilhéus, em costas rodeadas de recifes e à entrada de portos.

Os faróis servem de guia para os navios durante a noite e em dias de tempestade.
farol
Farol St. Joseph. Créditos: Tom Gill.

Os faróis seguem um código descritivo chamado "luz caraterística", que serve para identificar o farol. No cimo da torre, encontram-se uma ou duas lâmpadas muito potentes. Nos faróis marítimos, o farol possui lentes de Fresnel cujo número, largura, cor e espaçamento variam consoante o farol. Quando o farol está a funcionar no escuro, o candeeiro emite feixes de luz através das lentes que rodam a 360°.

farol,
Farol de St. Joseph, Lago Michigan, com incríveis formações de gelo. Fonte: Tom Gill.

Não só avisam os navegadores da proximidade da costa, como também podem reconhecer onde se encontram ao largo da costa, observando os intervalos e as cores dos feixes de luz emitidos.

Em dias de nevoeiro denso, quando o feixe de luz não é eficaz, alguns faróis têm também sirenes para emitir sons.

Por vezes situados em paisagens espetaculares com vistas paradisíacas, outras vezes virados para os mares mais imponentes do mundo. Apresentamos-lhe os três faróis que se destacam como os mais perigosos e/ou deslumbrantes do mundo.

Farol La Jument

Situado numa das regiões oceânicas mais perigosas da Europa, este é um dos faróis mais inóspitos e perigosos do planeta. Esta torre foi construída no rochedo La Jument, a 300 metros da costa sudoeste da ilha de Ouessant, situada no departamento de Finistère, na Bretanha. Resiste a tempestades com ventos muito fortes que provocam ondas de dezenas de metros de altura.

farol
Farol La Jument, Bretanha, França.

O farol de La Jument tornou-se muito popular após uma fotografia dramática, tirada por Jean Guichard em 1989. Em 21 de dezembro desse ano, um sistema de baixa pressão proveniente da Irlanda gerou ondas de até 30 metros de altura, que se quebraram contra o farol onde uma pessoa esperava para ser salva.

As ondas inundaram os andares inferiores da torre e o seu único habitante, Theodore Malgor, refugiou-se na sala de luz do farol, à espera de ser resgatado. O fotógrafo Guichard, a partir de um helicóptero em redor do farol, saiu para tirar fotografias impressionantes.

farol
Farol La Jument, Bretanha, França. Créditos: Jean Guichard

Ao ouvir as hélices do helicóptero, Theodore, acreditando que se tratava da chegada do seu salvador, apressou-se a descer até à entrada do farol. Guichard conseguiu imortalizar este momento com a sua câmara e, felizmente, Theodore conseguiu voltar a entrar no farol sem sofrer qualquer acidente e, alguns dias mais tarde, foi resgatado.

Farol de St. Joseph: "a torre de gelo".

Joseph, perto do parque Tiscornia, no cais norte de St. Joseph, no quebra-mar norte do lago Michigan, EUA. Tem dois faróis, um exterior e outro interior, construídos há mais de um século.

youtube video id=rWHwwzdLJ4I

Com uma altura de apenas 17,37 metros, é notável por assistir a tempestades de inverno com ventos gelados que o deixam completamente coberto de gelo, pelo menos uma vez por ano, quando as temperaturas entre dezembro e fevereiro atingem -18°C, por exemplo. Grandes ondas batem contra o cais e os faróis, criando e esculpindo formações de gelo dignas de um conto de fadas.

Farol de Mouro: o guerreiro das ondas

Este farol está situado na ilha de Mouro, à entrada da baía de Santander, na Cantábria, em Espanha. Foi posto em funcionamento pela primeira vez em 15 de fevereiro de 1860. Com uma altura focal de 38,7 metros acima do nível do mar e 18,39 metros acima do solo.

O seu desenho é semelhante ao de outros faróis rochosos que iluminam a costa inglesa, com uma torre cónica branca. Atualmente desabitado, os faroleiros permaneceram no local até 1921, mas foi tomada a decisão de abandonar a zona devido às numerosas tempestades que atingiam a região, deixando os trabalhadores sem comunicação durante longos dias.

farol
Farol de Mouro: "o guerreiro das ondas", Espanha.

Na sua história de "farol perigoso", alguns episódios em particular são bem recordados. Por exemplo, uma tempestade em 1865 fez com que um dos faroleiros perdesse a vida ao ser arrastado por uma onda gigante e empurrado para o mar. Um outro incidente terrível ocorreu durante os fortes ventos e ondas de 1896, quando um dos dois faroleiros residentes na ilha morreu subitamente, e o seu companheiro teve de viver com o corpo durante vários dias até que a tempestade passasse e ele fosse resgatado.

Uma forte tempestade em fevereiro de 1996 destruiu completamente o sistema de iluminação e o farol permaneceu fora de serviço durante algum tempo, uma vez que as condições meteorológicas e hidrológicas adversas impossibilitaram o acesso para reparação.

Vídeos em Destaque