O Clima no Globo em 2018

Em 2018, onze meses registaram temperaturas globais mensais da superfície do oceano e da terra acima das respectivas médias mensais.

Teresa Abrantes Teresa Abrantes 16 Fev. 2019 - 17:47 UTC
O ano 2018 foi o quarto ano mais quente a nível global.

A média global da temperatura da superfície terrestre e oceânica em dezembro foi a segunda mais quente de dezembro em 139 anos. De acordo com a NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration), a Organização Meteorológica Mundial (OMM) e o Serviço Meteorológico Inglês (MetOffice) as análises de registos de 139 anos levam a classificar o ano 2018 como o quarto ano mais quente.

Temperatura do oceano e da terra

A temperatura média da superfície do oceano e da terra foi, em 2018, 0.79 °C acima da média do século XX. Este foi o quarto maior desvio nos registos de 1880–2018. O maior ocorreu em 2016, seguindo-se de 2015 e 2017 registou o terceiro maior desvio. Os últimos 4 anos foram confirmados como os 4 anos mais quentes a nível global desde que há registos e os 20 anos mais quentes ocorreram nos últimos 22 anos. De acordo com a análise da NOAA foram identificados em algumas regiões do globo eventos extremos do clima durante o ano 2018. Apresentam-se de seguida alguns desses eventos.

Ocorrências na Argentina, EUA, Europa e Havai

Em 2018, durante a fase de maior extensão da superfície de gelo no Ártico, esta teve a 2ª menor extensão de sempre enquanto que na fase de diminuição da extensão de gelo atingiu-se a 6ª menor extensão da superfície de gelo. A precipitação total anual que ocorreu nos EUA fez de 2018 o 3º ano mais chuvoso. Só os anos 1973 e 1983 registaram valores de precipitação superiores.

No Havai em abril fortes chuvadas provocaram cheias catastróficas e deslizamento de terras. Registou-se numa das estações um valor extremamente elevado de precipitação, 1262.13 mm (l/m2) em 24 horas, que se tornou um novo recorde de precipitação nos EUA. O ano de 2018 foi o nono ano mais quente na Argentina desde 1961, ano em que se iniciaram os registos naquele país.

Na Europa registaram-se condições de tempo quente acima da média, com 2018 a tornar-se o ano mais quente de sempre neste continente. Alguns países registaram um recorde do ano mais quente, como foi o caso de França, Alemanha e Suíça, enquanto que a Dinamarca e a Holanda registaram o 2º ano mais quente.

Vagas de calor atingiram muitos países da Europa em 2018.

Ocorrências na Ásia, Argélia, Oceânia e Antártida

No dia 5 de julho registou-se na cidade de Ouargla (Argélia) uma temperatura máxima de 51,3 °C a temperatura mais elevada alguma vez registada em África. Em alguns países da Ásia, como foi o caso do Irão, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Turcomenistão, Paquistão, Uzbequistão e Tajiquistão foram registados no ano 2018 recordes nacionais da temperatura no mês de março, como por exemplo os 45,5 °C registados no Paquistão.

Em 2018 o valor recorde mais elevado do globo, 51,7 ºC, ocorreu nos Emirados Árabes Unidos, no Dubai. Na Austrália, 2018 foi o 3º ano mais quente desde que se iniciaram os registos em 1910. 2018 foi o 2º ano mais quente na Nova Zelândia juntamente com o ano 1998, sendo que o 1º ano mais quente foi 2016.

Em 2018, durante a fase de maior extensão da superfície de gelo, a Antártida atingiu a 4ª menor extensão da superfície enquanto que na fase de diminuição da extensão de gelo atingiu-se a 2ª menor extensão da superfície de gelo.

Publicidade