Sismo na Califórnia gerou enorme fissura no deserto

O sul do estado norte-americano da Califórnia foi abalado na semana passada por dois sismos de forte magnitude. Deixaram um rasto de destruição e uma enorme ‘cicatriz’ bem visível nas imagens de satélites. Imagens impressionantes. Confira!

Alfredo Graça Alfredo Graça 10 Jul. 2019 - 19:19 UTC
Fotografia aérea do sismo gerado em Ridgecrest, condado de Kern, EUA. Fonte: Twitter de Brian Olson.

O poderoso sismo que atingiu a Califórnia, o mais potente dos últimos 20 anos, deixou bem visível uma ‘cicatriz’ ou fissura ao longo do deserto que pode ser vista desde o espaço, segundo revelam novas fotografias.

O sismo de magnitude 7.1 que abalou o sul da Califórnia na passada sexta-feira a uma profundidade de 0.9 km, gerou uma fissura perto do seu epicentro a cerca de 240 km a nordeste de Los Angeles. Foi sentido em locais tão longínquos como Phoenix, Arizona – mais de 560 km a sudeste. Aliás, um sismo de magnitude 6.4 tinha surgido apenas um dia antes.

Os sismos causaram um número considerável de ferimentos leves, mas felizmente não ocorreram mortes. Estes acontecimentos deixaram a sua marca principalmente na paisagem, danificando casas, estradas e condutas de água. A pergunta que se impõe agora, é, poderá Los Angeles lidar com um ‘megaterramoto’?

A fissura no deserto, captada em fotografias do antes e depois dos eventos sísmicos por Planet Labs, expandiu-se perto do epicentro do sismo junto da cidade de Ridgecrest. De acordo com Will Marshall, o chefe executivo do Planet Labs, os padrões na areia sugerem que a água foi sugada do solo através de um processo denominado de ‘desidratação’ ou ‘dewatering’ em inglês.

Futuros sismos

Na segunda-feira, o Presidente dos Estados Unidos Donald Trump aprovou um pedido do Governador da Califórnia Gavin Newsom para declarar estado de emergência, desbloqueando fundos extra. Os sismólogos avisaram que sismos num futuro próximo são uma possibilidade. Abalos e tremores ainda estavam a ser detetados na área vários dias depois.

O tamanho do sismo levou a cabo mais discussões e debates acerca do grau de organização e preparação da Califórnia para o “Big One”, um sismo catastrófico que os sismólogos dizem estar atrasado e que ocorrerá ao longo da Falha de San Andreas. O Governador Newsom afirmou aos jornalistas que estes acontecimentos foram “uma chamada de atenção para o resto do Estado e outras partes da Nação”.

A Califórnia está a instalar um sistema de deteção antecipada que deverá estar concluído em 2021. Este sistema vai não só parar a deslocação de comboios, como também abrir as portas de quartéis dos bombeiros momentos antes de um sismo golpear.

Como se forma um sismo?

Um sismo é uma libertação repentina de tensão acumulada por rotura dos materiais que compõem a crosta terrestre. A grande maioria dos sismos são tectónicos e ocorrem devido ao choque entre placas tectónicas, o que acaba por gerar ondas sísmicas.

Publicidade