tempo.pt

Foi assim que as auroras boreais surpreenderam no céu em vários países

A tempestade solar das últimas horas deixou imagens espetaculares de auroras boreais. A surpresa foi que desta vez apareceram em latitudes um pouco mais baixas do que o habitual, por isso as redes sociais ficaram cheias de vídeos e fotos das hipnóticas "luzes do norte", veja!

Pouco depois de a Terra ser atingida na noite de segunda-feira 11 e durante a terça-feira 12 de outubro pela ejeção de massa coronal do Sol (que partiu em direção à Terra no sábado 9 de outubro), os céus noturnos foram pintados com cores brilhantes e a dança das luzes naturais impressionou os seus espectadores.

A mancha solar ativa AR2882 entrou em erupção no sábado passado e produziu uma grande chama solar de classe M1.6, com uma ejeção de massa coronal na direção do nosso planeta. A previsão da tempestade geomagnética cumpriu-se, acabando por ser uma tempestade G2 (índice Kp6), sendo G5 o máximo na escala.

As partículas carregadas de energia interagiram com a nossa magnetosfera, que é o nosso escudo protetor, reduzindo os efeitos nocivos mas deixando em evidência a perturbação com este espetacular jogo de luzes.

Normalmente, a formação de auroras costuma ocorrer (devido à disposição do campo magnético terrestre) em latitudes bem elevadas, dentro dos círculos polares, mas nesta ocasião puderam ser vistas (tal como previsto pela NOAA), a partir de latitudes um pouco mais baixas, o que gerou uma explosão de fotos e vídeos encantadores nas redes sociais de pessoas surpreendidas por este fenómeno óptico.

As imagens começaram a chegar de uma vasta área, desde Nova Iorque até mesmo Inglaterra e Irlanda do Norte. Juntamente com avistamentos mais frequentes em partes do Canadá e do Alasca. Nos EUA, pelo menos doze estados conseguiram ver as auroras boreais.

Destaque para a costa de Massachusetts, porque desde 2017 que não tinha este espetáculo de luzes brilhantes no céu; também a sul de Seattle em Olympia, Washington, foram tirados vários vídeos e fotografias. Foram também vistas em Oran, Iowa, Minto, Dakota do Norte, e em toda a Nova Inglaterra.

A chegada do vento solar à nossa atmosfera deixou as coloridas correntes de partículas gasosas a cobrir os céus também na Gronelândia, Islândia, Noruega, partes da Suécia e Escócia.